• +55 13 99615 8477
  • osvaldo.costa@euamopg.com

Arquivo da tag show

Feirinha  de Artesanato Itinerante e Encontro de Motociclistas agitam final de semana

Eventos ocorrem na Área de Lazer Ézio Dall’Acqua, conhecida como Portinho
26/7/2018

A Área de Lazer Ézio Dall’Acqua, conhecida popularmente como Portinho, tem neste final de semana atrações gratuitas que prometem agitar o público. A Feira de Artesanato Itinerante acontece no sábado (28), das 13 às 18 horas, e domingo (29), das 9 às 18 horas. Ainda no domingo, ao som da banda de rock Pentakapta, o local recebe, a partir das 12 horas, o encontro com cerca de 4 mil motociclistas de todas as partes do País. Com destaque pelo trajeto pela Rodovia dos Imigrantes intitulada de “A Grande descida do Litoral” (confira abaixo as mudanças no estacionamento do Portinho).

O evento busca celebrar o Dia do Motociclista, comemorado em 27 de julho. O coordenador nacional do Movimento Motociclístico do Brasil e um dos organizadores do evento, Rogério Damazo de Oliveira, comenta a importância da ação. “É a igualdade entre os amantes de duas e três rodas (triciclo), mostrando a todos que, juntos, com um mesmo ideal, podemos fazer muito a quem precisa e a nós mesmos mostrando o verdadeiro sentido de irmandade e respeito”.

O grupo costuma auxiliar também no lado social, com a doação de alimentos e produtos. No ano passado, segundo Damazo, foram arrecadadas uma tonelada e meia de alimentos à APAE. Em 2018, a prioridade será fraldas geriátricas que serão destinadas ao Fundo Social de Solidariedade do Município. 

As ações ajudam a desmitificar o pré-conceito em relação aos motociclistas. “Não somos bandalheira, somos trabalhadores e pais de família. Apenas buscamos a liberdade em cima de uma moto e nos aventurando para conhecer lugares e conquistar amigos. O nosso modo de vestir com colete preto de couro é para proteger e as caveiras que ostentamos em nossos brasões, tatuagens e moto são para mostrar a igualdade”, diz o coordenador.

ALTERAÇÕES NO TRÂNSITO – Devido o grande fluxo de pessoas no domingo (29), uma reunião na quarta-feira (25) entre representantes das secretarias de Cultura e Turismo, Trânsito, Guarda Civil Municipal e Polícia Militar definiu que o estacionamento de veículos do Portinho será transferido para o espaço atrás da Capela Nossa Senhora da Guia, já que o local usual receberá as 4.000 motocicletas vindas para o evento “A grande descida do Litoral”. 

Um local de carga e descarga será criado também para os munícipes e turistas que quiserem descer próximo ao Portinho, facilitando o acesso ao evento e aos quiosques. 
O secretário de Cultura e Turismo, Esmeraldo Vicente dos Santos, o Dinho, explica que todos os equipamentos funcionarão normalmente. “O espaço não será prejudicado pelo evento, podendo qualquer munícipe ou turista aproveitar as belezas encontradas na área de lazer Ézio Dall’Acqua e divertir-se por lá”, afirma o secretário.

A Secretaria de Trânsito complementa que todas as normas do Código de Trânsito Brasileiro serão cumpridas durante o evento, sendo passíveis das punições cabíveis, caso haja o desrespeito delas.

FEIRA DE ARTESANATO ITINERANTE – Mais de 40 barracas entre artesanatos e alimentação ficarão fixadas no Portinho. Artigos para decoração, bolsas, carteiras, caixas organizadoras, brinquedos, tudo feito de forma artesanal serão alguns dos itens vendidos no local.

A Feira de Artesanato Itinerante visa dar oportunidade aos artesãos que não tem um ponto fixo na Cidade nos quatro outros espaços destinados a esses artigos (Guilhermina, Ocian, Caiçara e Solemar) e são realizadas em diversos bairros no Município. As duas últimas, por exemplo, ocorreram no Pavilhão de Eventos Jair Rodrigues e a Praça Carlos Gomes, no Solemar.

ENDEREÇO- A área de Lazer Ézio Dall’Acqua fica localizada na Rua Paulo Garcia, s/nº, no Bairro Sítio do Campo.

Assista a “Fidi com sua música “Transando alquimia”” no YouTube

Agnaldo Rayol participa de show em homenagem a Gonzaguinha

Fernando Lauria e Trio se apresenta nesta sexta (8) no Teatro Serafim Gonzalez
5/6/2018

Em homenagem a um grande ícone da música brasileira, o andreense Fernando Lauria apresenta nesta sexta-feira (08) o show musical “Fernando Lauria e Trio – Gonzaguinha Palavra por Palavra”. Com participação especial do cantor Agnaldo Rayol, o evento acontece no Teatro Serafim Gonzalez, às 21 horas, com ingressos custando R$50,00 (inteira) e R$25,00 (com apresentação do flyer promocional e meia-entrada). 

As vendas antecipadas ocorrem pelo www.compreingressos.com e também nos pontos de venda descritos no próprio site. Existe ainda a possibilidade de compra dos convites na bilheteria do local no dia do evento, caso eles não estejam esgotados. 

Visando apresentar, resgatar e revitalizar a obra do compositor Gonzaguinha, Fernando traz uma releitura das obras do artista com um formato novo e moderno, porém sem esquecer as características principais evidenciadas do “filho do Rei do Baião”, Luiz Gonzaga.

Em suas músicas, o artista tratou do dia-a-dia do ser humano, angústias, derrotas e conquistas. Com composições marcantes e, muitas delas, críticas ao regime ditatorial, Gonzaguinha é considerado um compositor ainda conceituado na música brasileira, que inclusive foi escolhido como tema de carnaval da escola de samba do Rio de Janeiro Estácio de Sá no ano passado. 

ENDEREÇO – O Teatro Serafim Gonzalez fica localizado dentro do Complexo Cultural Palácio das Artes na Avenida Presidente Costa e Silva, nº 1600, no bairro Boqueirão. Informações pelo telefone 3496-5715.

Festival Roots Rockers | Tributo Bob Marley Edição 9

Cantor David Hubbard da Guiana Inglesa se apresenta com Banda QG Imperial no Tributo Bob Marley em Peruíbe

Galeria de Fotos

Live do Soul Pixaim, Mc Bó do Catarina e Vitinho

Praia Grande recebe Banda Maglore nesta quinta-feira (7)

Apresentando seu 4º disco, grupo fará show gratuito no Circuito Cultural Paulista
30/5/2018

A Banda Maglore promete trazer uma mistura do rock alternativo com MPB ao Teatro Serafim Gonzalez na quinta-feira (7) pelo Circuito Cultural Paulista. Às 20 horas, o grupo baiano se apresenta gratuitamente com ingressos sendo distribuídos uma hora antes do show começar.

Em seu quarto disco, chamado de “Todas as Bandeiras”, o grupo traz uma mescla de sentimentos com o álbum mais autoral entre todos. Lançado no ano passado, a primeira música do CD, por exemplo, “Aquela Força”, contém uma parceria do músico Teago com o mineiro Luiz Gabriel Lopes para tratar de superação pessoal.

Além disso, a banda deve relembrar ainda músicas dos outros três discos: “Veroz”, “Vamos pra Rua” e “III”. O primeiro deles, inclusive, recebeu a indicação ao Prêmio da Música Brasileira de 2012.

Endereço – Localizado dentro do Complexo Cultural Palácio das Artes, o Teatro Serafim Gonzalez fica na Avenida Presidente Costa e Silva, nº 1600, Bairro Boqueirão.
Circuito Cultural Paulista – Promovido para diferentes públicos pelo Governo do Estado de São Paulo, em parceria com a Praia Grande, o Circuito Cultural Paulista promove a difusão e acessibilidade cultural, realizando atividades artísticas em diversas linguagens para diferentes públicos.

Jakab no Santorini em Santos

5° Quinta-Feira muito bom pra caramba

Andy Timmons em Praia Grande

Andy Timmons na PG

Bar do Leonardo em Praia Grande

Leonardo esta voltando para Praia grande com o seu “Bar do Léo” , tu não vai perder um showzaço desse né?!

Dia 26/10 na Casa de Portugal – Praia Grande

Aniversário Forró do Mato Grosso do em Praia Grande

Gente da PG fazendo arte Davi Campolongo

Ateliê Bar

Tribo de Jah retorna à Praia Grande e Fidi se apresenta pela 1ª vez na cidade.

Banda retorna em Praia Grande

Vamos de Reggae!

Localização daO Reggae é um gênero musical que tem suas origens na Jamaica. O auge do reggae ocorreu na década de 1970, quando este gênero espalhou-se pelo mundo. É uma mistura de vários estilos e gêneros musicais: música folclórica da Jamaica, ritmos africanos, ska e calipso. Apresenta um ritmo dançante e suave, porém com uma batida bem característica. A guitarra, o contrabaixo e a bateria são os instrumentos musicais mais utilizados.

As letras das músicas de reggae falam de questões sociais, principalmente dos jamaicanos, além de destacar assuntos religiosos e problemas típicos de países pobres. O reggae recebeu, em suas origens, uma forte influência do movimento rastafári, que defende a ideia de que os afrodescendentes devem ascender e superar sua situação através do engajamento político e espiritual.

Os anos 70 (década de 1970) foi a época dos grandes sucesso do reggae. Várias músicas marcaram época e alcançaram o topo na lista de sucesso das rádios: I Shot the Sheriff  (versão de Eric Clapton), Peter Tosh com Legalize It e No WomanNo Cry de Bob Marley.

Vários cantores e bandas passam a incorporar o estilo reggae a partir dos anos 80 (década de 1980). Eric Clapton, Rolling Stones e Paul Simon fazem músicas, utilizando a batida e a sonoridade dançante e suave. Atualmente, vários cantores e bandas fazem sucesso nesse gênero musical: Ziggy Marley, Beres Hammond, Pulse, UB 40 e Big Mountain.

Tribo de Jah e o Reggae no Brasil

Resultado de imagem para tribo de jah

Foi na região norte/nordeste do Brasil que o reggae entrou com mais força. No estado do Maranhão, principalmente na capital São Luís, é comum a organização de festas ao som de reggae. Na década de 1970, músicos como Gilberto Gil e Jorge Ben Jor são influenciados pelo estilo musical jamaicano. Na década de 1980, surge uma das bandas precursoras no Brasil, a Tribo de Jah.

A história da banda Tribo de Jah iniciou-se na Escola de Cegos do Maranhão, onde, se conheceram os quatro músicos cegos e um quinto músico com visão parcial (apenas em um olho), lugar em que viviam em regime de internato, começaram a desenvolver o gosto pela música improvisando instrumentos e descobrindo timbres e acordes. Posteriormente passaram a realizar shows nos bailes populares da capital (São Luiz) e outras cidades do interior do estado fazendo covers de seresta, reggae e lambada.

Imagem relacionadaFoi neste momento que surgiu o radialista Fauzi Beydoun, nascido em São Paulo, filho de italianos com libaneses, que já havia morado quatro anos na Costa do Marfim (África), grande aficionado pela cultura reggae a qual era efervescente em São Luis nos anos 80, e que se tornou um fenômeno quase inexplicável nas terras brasileiras do Maranhão, invadindo inicialmente os guetos para depois tomar toda cidade, o interior do estado e até os estados vizinhos.

O reggae viria marcar profundamente a já tão forte e original cultura maranhense, contestado por uma minoria de intelectuais conservadores e abraçado pela grande massa, que através desse estilo musical originaria o título de “JAMAICA BRASILEIRA” à capital do Maranhão. Centenas de clubes de reggae com suas “radiolas” (potentes equipamentos de som que se encarregavam de divulgar o ritmo quando ainda não era tocado nas rádios) e depois diversos programas de rádios que finalmente viriam aderir o mesmo em busca de audiência justificariam largamente o título conquistado.

Foi neste cenário que a Tribo de Jah deu a partida para difundir o seu reggae roots até os ossos, com suas mensagens de amor e paz, políticas sociais e divinas, as quais afastaram das grandes gravadoras, as rádios não tocavam, a TV tampouco informava e os jornais faziam vistas grossas. De forma independente a Tribo de Jah foi fazendo shows e divulgando seus discos, hoje conta com uma gravadora e uma distribuição a nível nacional.

Imagem relacionada

Passados dez anos de trabalho com direito a uma escala no principal palco do reggae mundial (REGGAE SUNSPLASH FESTIVAL – JAMAICA 95), após ter se apresentado nos quatro cantos do país (de Belém a Porto Alegre, passando pelo Canecão e Metropolitam – Rio, Palace e Olympia – São Paulo) e alguns pontos internacionais (Buenos Aires – Argentina, Caiena – Guiana Francesa, além de shows na Europa em paises como a França e Itália) denotam o momento muito especial no caminho que a Tribo de Jah vem trilhando para um inevitável reconhecimento de seu trabalho tanto no Brasil como no exterior.

Com 30 anos de carreira e muita lenha pra queimar, Tribo retorna à Praia Grande

A banda já tocou muito na cidade em festivais de reggae na Boulevard, inclusive em um festival chamado Caiçara in Canto que foi um marco nos anos 90.

Rafael Labate, tecladista da Tribo de Jah

Em entrevista para o nosso portal, Fauzi Beydoun falou a respeito da importância da visita da Tribo na cidade, bem como o movimento cultural, os constantes desafios que a banda tem encarado ao longo da carreira e um recado aos fãs e músicos que admiram e se inspiram com o seu trabalho.


Fidi, um pernambucano, cheio de energia e muita positividade.

Horemos é hora de acordar, Horemos é hora de despertar

Valterlins Herculano, mais conhecido como Fidi, é um músico, cantor, compositor e escritor de origem pernambucana.

Seu interesse pela música começou cedo, quando, ainda na infância e durante toda a adolescência, deixava-se embalar pelas canções de Luiz Gonzaga, Geraldo Azevedo, Zé Ramalho, Mutantes, Tim Maia e Raul Seixas, entre tantos outros nomes da musica brasileira.

Fidi é cidadão do mundo.

Após 20 anos vivendo na cidade de São Paulo, decidiu iniciar o novo milênio na pacata cidade mineira de São Thomé das Letras, onde começou a desenvolver seus primeiros trabalhos como músico.

Após uma temporada de vai e vem entre a capital paulista e pequenas cidades mineiras, o artista passou, ainda, por São Sebastião, no litoral norte paulista, e vive, atualmente, em Campos do Jordão, na região vale-paraibana de São Paulo. Antes de iniciar, oficialmente, sua carreira em cima dos palcos, Fidi ganhava a vida como empresário e, posteriormente, produtor de eventos.

Apesar do amor pela música, a desvalorização dos artistas independentes foi o que tardou seu crescimento como músico, entretanto, os anos de estrada, a vivência como empresário e a maturidade foram experiências fundamentais para seu desenvolvimento. Assim como a Tribo de Jah, Fidi também visitou a Praia Grande pela primeira vez.

Em entrevista para o nosso portal, o artista falou sobre seus planos para o futuro, os grandes desafios que a cultura enfrentando no cenário econômico atual, mas não esmorece quando perguntamos sobre desenvolver um novo movimento para a nossa cidade, que é carente de eventos deste porte.

Assista a entrevista para o portal Eu Amo PG.

 

 

 

12
%d blogueiros gostam disto: