fbpx
  • +55 13 99615 8477
  • vendas@euamopg.com

Arquivo da tag atividade

Museu da Cidade e Galeria Nilton Zanotti não funcionam neste sábado em Praia Grande

Atividades retornam normalmente na terça-feira (24)
18/7/2018

Em razão do grande fluxo de pessoas no Praia Games, a Secretaria de Cultura e Turismo de Praia Grande (Sectur) informa que o Museu da Cidade e a Galeria Nilton Zanotti não funcionarão neste sábado (21). As atividades voltarão normalmente na terça-feira (24), às 14 horas.

Segundo o diretor da Divisão de Artes Visuais e responsável pela Galeria Nilton Zanotti, Osmário Barreto, o local funcionará normalmente nesta sexta, porém, é necessário seu fechamento no sábado para garantir que as obras do espaço não sejam danificadas por qualquer acidente. O Museu da Cidade seguirá também o mesmo funcionamento da Galeria.

Atualmente, a Galeria está recebendo a exposição coletiva da Associação Profissional dos Artistas Plásticos de São Paulo e segue até dia 11 de agosto. Já o Museu da Cidade, a mostra itinerante “Casas do Brasil – Habitações Ribeirinhas na Amazônia” retrata o modo de vida da população dessa região pelas imagens do fotógrafo Eduardo Girão continuam até o dia 2 de setembro.

Conviver Samambaia completa 2 anos com muita festa e apresentações

Cerca de 100 pessoas curtiram uma tarde diferente na unidade
25/6/2018

Na última quinta-feira (21), a unidade do Conviver no Bairro Samambaia completou dois anos de atividades e os frequentadores que frequentam o local desde o início do programa mal sabiam o quanto aquele equipamento iria mudar suas vidas. 

A comemoração trouxe um dia diferente para moradores da região e frequentadores do local com apresentações de grupos de dança da própria unidade. Para abrir a festa, o grupo As Fabetes” que leva o nome por ser ensaiadas pelo professor de dança Fábio Luiz Gomes, coreografou um funk. Logo após, o grupo de dança cigana se apresentou para os convidados e, para fechar as apresentações, “As poderosas” dançaram música country, aproveitando o clima de festas juninas. Após as atrações, foram servidos diversos pratos preparados pelos próprios frequentadores da unidade. 

A festa também foi de emoção para alguns alunos, que após dois anos de atividades viram sua vida mudar complemente. Uma das histórias de superação é da aposentada, Guiomar da Silva, de 60 anos, que frequenta a unidade há um ano e meio. “Antes de começar os cursos, eu tinha depressão e artrose. Hoje pratico alongamento, aulas de patch apliquê, dança cigana e ainda participo das aulas de vôlei. Houve uma grande mudança na minha vida, só o fato de diminuir 50% dos remédios que eu tomava já vale muito a pena, minha qualidade de vida mudou. Fiz novas amizades graças a essa unidade maravilhosa”.

A presidente do Fundo Social de Solidariedade de Praia Grande, Maria Del Carmen Padin Mourão, a Maruca, falou sobre as oportunidades de mudança de vida que o Programa Conviver trouxe aos idosos da Cidade. “O objetivo era trazê-los para dentro da unidade, para confraternizar e fazer amizades. Fico muito feliz ao ver os depoimentos de pessoas que saíram de uma depressão, isso tudo é a realização de um sonho não só meu, mas de todos que fazem parte da assistência social de Praia Grande”.

Serviço – O Programa Conviver é uma iniciativa da Secretaria de Promoção Social (Sepros), em parceria com o Fundo Social de Solidariedade do Município, e destinado a pessoas maiores de 50 anos. O projeto teve início em 1993, com o objetivo de oferecer atividades esportivas e de lazer para a Melhor Idade.

O Conviver Samambaia fica na Avenida Pau Brasil, esquina com a Rua Itiberê da Cunha, no Bairro Samambaia. O telefone de contato é 3496-5004.

Desde 2009, Praia Grande ocupa o primeiro lugar no Índice Futuridade entre as cidades com mais de 200 mil habitantes. O índice estadual mede a qualidade de vida e a atenção ao idoso nos municípios

Enxadristas ganham três medalhas

Time da Cidade disputou Torneio do SESI
13/6/2018

A equipe de Praia Grande (Secretaria de Esporte e Lazer – SEEL) conquistou três medalhas (um ouro, uma prata e um bronze) no Torneio de Xadrez do Serviço Social da Indústria (SESI), evento válido como terceira etapa do Circuito Cubatense regido pelo Clube de Xadrez de Cubatão com chancela da Federação Paulista (FPX). A competição realizada no último domingo (10) ocorreu no salão do SESI, em Cubatão.

A disputa aconteceu em sistema de jogo de 21 minutos. As medalhas de Praia Grande vieram na categoria cadete (15 anos) com André Nascimento Melo, Leonardo da Silva Oliveira e João Paulo Amorim Agrella. Já Ricardo de Lima Primo terminou na quarta colocação. O grupo municipal recebe orientação técnica da professora Rosângela Domingos de Andrade Coelho.

Em abril, na segunda etapa (29º Torneio de Xadrez Cidade de Cubatão), o praia-grandense João Paulo Amorim Agrela e Leonardo Silva Oliveria conquistaram medalhas de ouro e prata na categoria cadete (15 anos). Gabriel Estevão Rodrigues foi vice-campeão na infanto-juvenil (16 anos). Já André Nascimento Melo terminou em quarto lugar na cadete. 

Em 2017, a equipe de Praia Grande obteve dois primeiros lugares, um segundo e três terceiros na classificação final do Circuito Regional Cubatense. Ao todo, em seis etapas ao longo do ano, a turma da Cidade ganhou 31 medalhas (8 ouros, 9 pratas e 14 bronzes). Na cadete, título para João Agrela. Terceira posição para Leonardo da Silva Oliveira. Na infantil (13 e 14 anos), troféu de campeão geral para André Nascimento Melo. Vice-campeonato e terceira posição para Rafael Chinelli Raimundo e Ricardo de Lima Primo. Na pré-infantil (11 e 12 anos), terceiro lugar para Heitor Lourenço Mathias.

Em 2016, a turma da Cidade faturou seis medalhas no Circuito Cubatense. Em 2015, foram outras nove. Em 2014, conquistou um título geral, dois vice-campeonatos e dois terceiros lugares. Em 2013, o time municipal obteve um título geral, um vice-campeonato e um terceiro lugar. Em 2012, um ouro e uma prata. Em 2011, a equipe de xadrez de Praia Grande faturou cinco troféus (três ouros, uma prata e um bronze). Em 2010, três ouros, uma prata e dois bronzes. Em 2009, um segundo e um terceiro lugares. Em 2008, uma taça de campeão e uma de vice-campeã.

Treinos – A SEEL de Praia Grande disponibiliza gratuitamente para os munícipes polo de iniciação e treinamento competitivo de xadrez. A modalidade é recomendada para todas as idades, mais precisamente para as crianças, pois estimula o raciocínio e o desenvolvimento intelectual. As aulas ocorrem no Ginásio Magic Paula (Avenida do Trabalhador, 4111, Bairro Antártica), de segunda a quinta-feira, das 8h às 17h, e nas sextas-feiras, das 8h às 12h; e no Espaço Conviver Boqueirão (Avenida Presidente Castelo Branco, s/nº, Bairro Boqueirão), às sextas-feiras, das 17h às 21h. 

Para participar da atividade, os interessados devem se inscrever no local dos treinamentos (Fábrica do Esporte). Os menores de 18 anos precisam apresentar, além do próprio documento de identidade, autorização do responsável e comprovante de residência. Os materiais para a prática da modalidade são disponibilizados pela própria SEEL.

Dinâmica permite que servidores aperfeiçoem os processos de trabalho por meio de peças de Lego

Desenvolvedores da Secretaria de Planejamento participaram da atividade
17/5/2018

Dinamizar o desenvolvimento de projetos e resolver situações de crise durante a realização de processos de trabalho em um ambiente corporativo. Esses foram alguns dos temas abordados durante palestra do Agile Coach Silas Serpa, da empresa DB Server, em um encontro voltado para servidores da Secretaria de Planejamento, desenvolvedores de projetos na Prefeitura.

Durante a manhã, o palestrante expôs conceitos de uma dinâmica inovadora, com o objetivo de que os participantes tivessem um contato mais próximo com o desenvolvimento de projetos. “O que proponho é uma vivência completa de um projeto, abordando situações de um mundo real, com a tomada de decisões que vão influenciar positiva ou negativamente no projeto”, explica Serpa.

Durante a palestra, o Agile Coach destacou que todas as decisões trazem conseqüências, ao abordar o Conceito Cynefin, que classifica a realidade do projeto como simples, complicado, complexo ou caótico, além de explicar o significado da palavra “risco”.

“O risco nos remete à palavra negativa, mas, na verdade, é apenas a consequência futura que pode influenciar em algo negativamente ou positivamente”, argumenta.

Dinâmica – Após a palestra pela manhã, de tarde a teoria deu lugar à prática, quando foi desenvolvida a dinâmica Cynefin Agile Lego Challenge. Depois de dividir os participantes em dois grupos, o desafio tinha como objetivo criar elementos, através de peças do Jogo Lego, para compor um parque de diversões com algumas características pré-estabelecidas como ter seis atrações e garantia de lucro em seis meses, onde as pessoas deveriam permanecer durante todo o dia.

“A idéia é que após a atividade as pessoas saiam energizadas e focadas em decisões, usando o coletivo para ter sinergia e identificação de risco, com a possibilidade de explorar alguns momentos para experimentar”, diz o diretor do Departamento de Tecnologia e Modernização da Informação da Secretaria de Planejamento (Seplan), Leandro Fernandes Sanches, idealizador da iniciativa.

Durante a dinâmica, somente duas pessoas dos times podiam passar as informações necessárias para a equipe de montagem poder desenvolver a construção dos elementos.

“A dinâmica foi criada para colocar da maneira mais dura uma iniciativa, com uma série de fatores que podem acontecer em um projeto real. Inserimos também uma roleta de caos que os grupos podem ou não sofrer as consequências na construção de um projeto, o que caracteriza o gerenciamento de riscos”, enfatiza Sanches.

“Apesar de estarmos trabalhando com essas ferramentas há algum tempo, elas nos colocaram em situações de refletir se estamos fazendo a coisa certa ou não. A demanda externa nos obriga a tomar a decisões rápidas diante de um cenário de caos”, avalia o programador Leandro Rodrigues, um dos servidores participantes do desafio.

Mar É Nosso’ encanta alunos da EM Vila Mirim

Ação ocorreu na segunda-feira (16), por meio de parceria com Mantas do Brasil
17/4/2018

Conhecer os detalhes da raia manta, a maior espécie deste tipo de peixe e que corre risco de extinção, foi a grande sensação dos alunos do 5º ano do Ensino Fundamental da Escola Municipal Vila Mirim (Bairro Mirim) que participaram do projeto ‘Mar é Nosso’. A atividade, que ocorreu na segunda-feira (16), foi desenvolvida pelo Departamento de Educação Ambiental (DEA). Ao longo deste ano, o DEA contará com a parceria do projeto Mantas do Brasil, ação do Instituto Laje Viva. 

Divididos em duas turmas, os alunos assistiram primeiro a palestra referente à importância da preservação de rios e mares. As professoras do Departamento de Educação Ambiental explicaram sobre o ecossistema marinho, abordando questões como se forma a faixa de areia das praias, quais animais vivem e necessitam neste ambiente e no oceano e o impacto causado pelo descarte incorreto de lixo.

Logo depois, a equipe do Manta do Brasil fez uma encenação para os estudantes. Vestidos de mergulhador e raia manta, o grupo apresentou detalhes sobre a maior espécie de raia existente e que corre risco de extinção. “Torna-se o momento que mais chama atenção dos alunos por ser lúdico. Eles conseguem visualizar a explicação por meio do teatro”, destacou a professora Cristiane Evaristo Araújo.

Educador Ambiental por meio do Mantas do Brasil, Nauther Andres, destaca a importância de projetos como esse em parceria com as escolas da rede municipal de ensino. “O problema que os oceanos enfrentam hoje é muito maior. Desta forma, faz-se necessário conscientizar as crianças que serão as grandes responsáveis em cuidar do meio ambiente no futuro”, destacou.

Dados – A jamanta ou raia manta é uma espécie de peixes cartilagíneos (Chondrichthyes) pelágicos, oceânicos da família Myliobathidae e a maior espécie atual de raias. Encontra-se nas regiões tropicais e subtropicais de todos os oceanos, tipicamente perto de recifes de coral, também vista na Laje de Santos. Com corpo em forma de losango e uma cauda longa sem espinho e pode atingir sete metros de envergadura e pesar até 1,350kg, chegando até 40 anos de vida. 

Estes peixes não têm verdadeiros dentes e alimentam-se de plâncton e pequenos peixes, sendo, portanto inofensivos. Ocasionalmente, podem aproximar-se de um barco ou de mergulhadores e podem executar curtos “voos” fora da água. Têm a maior taxa de volume de cérebro em relação ao do corpo de todos os tubarões e raias.

Durante as suas migrações, as jamantas efetuam mergulhos frequentes até profundidades de quase dois quilômetros (entre os maiores alguma vez medidos para um animal marinho), onde as temperaturas da água atingem os três graus centígrados.

O Mar É Nosso –O projeto consiste em conscientizar os alunos sobre a necessidade de preservar o ecossistema marinho por meio de palestras e atividades práticas realizadas na unidade escolar. De início, os educadores ambientais aplicam uma sondagem inicial sobre o tema a ser estudado a uma amostragem de alunos escolhidos pelo professor da turma. Ao término das ações, os estudantes selecionados respondem a sondagem final para verificação dos conhecimentos assimilados.

1
%d blogueiros gostam disto: