fbpx
  • +55 13 99615 8477
  • vendas@euamopg.com

Arquivo da tag arquitetura e urbanismo

Para lojistas de móveis, arquitetos e designs.

Quais as vantagens de contratar a M.A. Medições técnicas

A M.A. Medições técnicas traz inúmeras vantagens para a pessoa que se interessa por tal situação.

Segue algumas dessas vantagens:

  1. Quando a M.A. Medições técnicas é contratada, ela faz todos os procedimentos necessários para a realização de seu projeto.
  2. O contrato tem determinado o prazo para que a M.A. Medições técnicas conclua as aferições, o que permite que você consiga se programar melhor.
  3. A M.A. Medições técnicas é responsável pela execução das aferições.
  4. A M.A. Medições técnicas responde por toda a parte trabalhista dos empregados e etc.
  5. A M.A. Medições técnicas é responsável por tudo que se refere a medição na obra.

De uma maneira resumida, a contratação da M.A. Medições técnicas para realizar uma obra é uma maneira da pessoa ficar tranquila, pois ela não terá praticamente nenhuma preocupação, apenas verificar se a empresa está trabalhando conforme o acordado no contrato.

Visite a página do Youtube, tem novidades.

Obrigado Mauro de Andrade

O que é metrologia?

Metrologia é a ciência das medições e suas aplicações.

A metrologia engloba todos os aspectos teóricos e práticos da medição, qualquer que seja a incerteza de medição e o campo de aplicação.

Medições e metrologia são essenciais a quase todos os aspectos dos empreendimentos humanos, pois são utilizados em atividades que incluem o controle da produção, a avaliação da qualidade do meio ambiente, da saúde e da segurança, e da qualidade de materiais, e outros produtos para garantir práticas seguras de comércio e a proteção ao consumidor.

Assista esse vídeo que detalha uma medição técnica.

O que é Metrologia?

O termo metrologia vem do grego metron que significa medida, e logos que significa ciência.

Metrologia é a ciência das medições e suas aplicações.

A metrologia engloba todos os aspectos teóricos e práticos da medição, qualquer que seja a incerteza de medição e o campo de aplicação.

Medições e metrologia são essenciais a quase todos os aspectos dos empreendimentos humanos, pois são utilizados em atividades que incluem o controle da produção, a avaliação da qualidade do meio ambiente, da saúde e da segurança, e da qualidade de materiais, e outros produtos para garantir práticas seguras de comércio e a proteção ao consumidor, só para citar alguns exemplos.

As medições estão presentes em quase todas as operações comerciais, desde o comércio em larga escala até a venda de produtos para o público em geral. Com isso, a metrologia também é crucial para o comércio porque fornece os meios técnicos necessários para garantir que as transações comerciais sejam mais justas, transparentes e confiáveis. Para tanto, é necessário a implementação de sistemas de medição, que incluem a adoção do Sistema Internacional de Unidades, instrumentos exatos de medição que seguem normas internacionais, métodos e procedimentos aprovados.

Os quiosqueiros de Praia Grande estão preocupados com a falta de informação do projeto #quiosques

Os quiosqueiros de Praia Grande estão preocupados com a falta de informação do projeto que vai reurbanizar os quiosques da orla da praia. Temendo o desemprego, os atuais permissionários querem mais informações sobre o novo ­projeto.

No entanto, a situação dos mesmos está irregular desde 2008, quando o Ministério Público e o Poder Judiciário entenderam que, para a concessão, era preciso licitação prévia.

“Temos certeza que vão derrubar os quiosques, tirando o emprego de muita gente”, lamenta Maria de Lourdes, gerente de um quiosque há 19 anos.

Os permissionários acreditam que uma reforma já melhoraria o local e gostariam de um acordo para que ficassem responsáveis pela obra. Mas, segundo a prefeitura, isso não é possível por determinação judicial.

“A concessão inicial era de 10 anos e expirou em 2005. Uma prorrogação foi permitida, mas o Ministério Público (MP) e o Poder Judiciário entenderam que, para nova concessão, era preciso licitação prévia.

Assim as concessões foram canceladas obedecendo à determinação judicial”, explica a Administração Municipal.

Em entendimento com o MP, a Prefeitura formalizou Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) que permitiram aos titulares das concessões continuarem a trabalhar, até que todo o processo fosse finalizado.

Agora, com a assinatura de convênio com o SPU (Secretaria de Patrimônio da União), que passou a gestão das praias para o Município, a nova licitação irá sair e o processo poderá ser ­concluído.

“Vimos o projeto, mas não sabemos de nada, se vai ser por licitação, se vamos poder participar, nada”, reclama Marli ­Calegari, ­sócia de um quiosque.

A legislação impede a concessão de privilégios a quaisquer licitantes, desta forma, por imposição legal os quiosqueiros não terão prioridade. Por outro lado, qualquer pessoa pode participar, incluindo os atuais donos.

Boatos

Sem informações oficiais, diversos boatos circulam entre os trabalhadores.

“Dizem que uma firma grande vai assumir e depois alugar para gente”, relata Isonete Gonçalves, dona de um quiosque há 24 anos.

“Talvez eles nos deem licença para trabalhar, mas o equipamento não”, diz Maria de Lourdes. “Estamos vivendo só o dia de hoje, sem saber o que vai acontecer amanhã”, ­complementa.

Segundo a Prefeitura, apenas uma concessionária vencerá a licitação, que pode ser uma empresa, pessoa física individual ou pessoa física coletiva. O vencedor será responsável por assumir todo o projeto, podendo se consorciar da melhor maneira possível, desde que realize as obrigações do contrato.

Ainda de acordo com a Administração Municipal, o edital está sendo elaborado pensando na hipótese de financiamento de carrinhos estilo ‘food truck’ aos quiosqueiros originários da época de permissão que não vierem a participar ou ganhar a licitação.

Desemprego

O principal temor dos quiosqueiros é o desemprego. De acordo com o presidente do Sindicato dos Ambulantes e Permissionários da Baixada Santista e Vale do Ribeira (SINDPMEIMBS), Edson Emo Santana Barros, mais de 1.500 trabalhadores deverão ficar ­desempregados.

Isso levando em conta a temporada, época em que os 164 quiosques ficam abertos com cerca de dez funcionários cada.

“Não são só os donos que vão ficar no prejuízo, são os empregados e os fornecedores também. Mas ninguém nos falou nada oficialmente. Nós sobrevivemos disso, vamos ficar desempregados”, diz, emocionada, Isonete.

Marli demonstra a mesma preocupação. “Cada quiosque tem dez trabalhadores. São dez famílias que vão ficar sem o ganha-pão”, ­lamenta.

A Prefeitura esclarece estar preocupada com a reinserção daqueles que trabalham nos quiosques e estuda para que seja prevista no edital a contratação dos atuais funcionários devidamente registrados nos quiosques.

Informações oficiais

A previsão é de que o edital, ainda em elaboração, seja publicado em março.

Após a publicação deverá haver uma reunião pública com participação de todas as pessoas interessadas – não apenas ­quiosqueiros.

Por conta do processo licitatório, é oficial que todos terão que sair. Os quiosqueiros serão avisados da desocupação por uma notificação da Administração Municipal.

O objetivo da Prefeitura é de que, caso não haja nenhum problema na fase de edital, a contratação ocorra assim que o processo licitatório for finalizado.

Os quiosques devem ficar prontos para o próximo verão. As obras serão de responsabilidade da empresa/consórcio ­vencedor.

A licitação irá prever a forma para execução das obras.

Projeto prevê mudanças na orla da praia

Os quiosques não são os únicos a serem remodelados. Toda a orla da praia, incluindo estruturas públicas, deve passar por ­modificações.

“O projeto prevê a reforma, demolição ou revitalização das estruturas existentes, criando uma grande estrutura para comércio e prestação de serviços, totalizando 92 módulos”, informa a Prefeitura.

O número de quiosques cairá drasticamente, passando de 164 para 32. Mas, dos atuais 164, apenas 48 funcionam durante todo o ano. O restante abre apenas na temporada. Por isso, o presidente do Sindicato pretende tentar um acordo para aumentar o número de quiosques comerciais para 50.

Haverá ainda quatro quiosques para realização de eventos, que poderão ser públicos ou privados; e seis “Espaço Kids” – locais voltados para o lazer das crianças – que, observados de fora, terão o formato de ‘Cupcakes’.

“A proposta é adequar a estrutura para melhor atender às necessidades do comerciante e do frequentador, ampliando e modernizando os espaços, além de criar locais diferenciados”, destaca o subsecretário de projetos especiais, Fernando Félix de Paula.

A acessibilidade também está prevista no projeto, com rampas de acesso à faixa de areia, acessibilidade para carrinhos e pessoas com deficiência. “Isso se dará ao longo de toda orla, o que significa uma grande melhora e facilitação de acesso à praia”, diz o subsecretário.

Por fim, a reurbanização terá oito edifícios de apoio com duas salas e um com quatro salas; um apoio da Guarda Civil Municipal; três escolas de surf; oito postos de salvamento; 23 jardins com faixa de acesso à praia e seis Espaços “Palco” múltiplo uso.

 

Fonte: Diário do Litoral

Prédio balança mais não cai no Canto do Forte em Praia Grande


Moradores de um prédio de alto padrão em Praia Grande, no litoral de São Paulo, passaram por um grande susto na noite desta quarta-feira (21). Um abalo em uma das colunas de sustentação do edifício causou um forte tremor, sentido em várias outras construções do bairro. O local precisou ser evacuado e interditado, nesta quinta-feira (22), pela Defesa Civil do município. Ninguém se feriu.

De acordo com informações apuradas pelo G1, o problema aconteceu por volta das 22h no Residencial Talismã I, localizado na Rua Brigadeiro Faria Lima, no bairro Canto do Forte, e assustou vizinhos das construções ao lado. Segundo uma moradora, que preferiu não se identificar, os condomínos entraram em pânico.

“Ouvimos um estrondo e o prédio se mexeu. Parecia um terremoto. Foi uma balançada que chegou a quebrar lâmpadas em alguns apartamentos. Chamamos a Defesa Civil que, quando chegou, pediu para evacuar o prédio imediatamente, pois não sabíamos as consequências do problema. Até a rua foi interditada”, afirma.

Segundo ela, até agora, 40 pessoas que estavam no edifício no momento do susto não foram autorizadas a voltar para casa. “A prefeitura pediu para que contratássemos um calculista. Ele veio, tirou foto, fez medições, mas isso não é da noite para o dia. Estamos em hotéis, em casa de familiares. Ninguém pode entrar no prédio, e se entrar, tem que subir de escada, o elevador não pode ser usado, as caixas d’água foram esvaziadas. Esse é o cenário”, relata.

Fonte: G1

Carrefour ou MC Donald’s na Mallet?

Primeira Mostra Decore apresenta 40 ambientes decorados com grandes nomes da arquitetura e design no litoral paulistano.

Primeira Mostra Decore apresenta 40 ambientes decorados com grandes nomes da arquitetura e design no litoral paulistano.

Praia Grande recebe a primeira Mostra Decore do município. De 27 de abril a 31 de maio, a mostra, com curadoria de Álvaro Guillermo, tem como conceito principal apresentar profissionais das áreas de arquitetura e design de interiores mostrando como é possível reformar um ambiente de modo criativo, independente do tamanho e investimento. Soluções criativas e diferenciadas com o objetivo de realçar a importância do profissional para resolver problemas do habitar.

Foto: MCAtrês Assessoria em Comunicação e Marketing

Foto: MCAtrês Assessoria em Comunicação e Marketing

Com mais de 40 ambientes a serem decorados em 3.000m² os profissionais apresentarão seus trabalhos com mínimo de intervenção civil, mas com muita criatividade em ambientes como lounges, salas de estar e jantar, banheiros, cozinha gourmet, quartos, suítes, varandas, terraços, escritórios e outros tantos mais, além de um espaço especial para gastronomia, aonde acontecerão eventos, aulas e workshops.

“Nossa ideia é trazer para o litoral as novas tendências em arquitetura & decoração. Temos vários profissionais da área na região e um público carente de informações”, comenta Sergio França, idealizador da mostra.

Foto: MCAtrês Assessoria em Comunicação e Marketing

“Estou extremamente feliz de estar participando do projeto, Cometa Guillermo, “Fui convidado para fazer a curadoria da Mostra, e envolvido agora de uma forma efetiva nesse projeto, com o qual pretendemos mudar aquilo que vem sendo feito tradicionalmente nas mostras por todo o país. Primeiro trabalho vai ser mostrar como que com o mínimo de intervenção é possível fazer grandes mudanças nos ambientes, pra isso é necessário ter um profissional qualificado, que entenda da construção civil, dos ambientes, da arquitetura, do design e com isso essa mostra, pretende de imediato promover a importância da contratação dos profissionais de arquitetura, designer de interiores e decoração. Depois o eixo que vai nortear o conceito da Mostra vai ser o da Brasilidade, da casa Brasileira. Um país multi cultural, trans cultural, que vai muito além da mistura do índio com o europeu, temos hoje a mistura do sertanejo com a praia, do caiçara com o caipira, essas culturas que em todo momento estão se misturando e gerando novos resultados que estarão presente na nossa Mostra.”

Cronograma do evento:

Congresso técnico:

Data: 29/01 – Exclusivo para arquitetos e designers que participam da Mostra, assim como apoiadores e patrocinadores.

Objetivo: Apresentar aos profissionais a empresa Talenco, responsável por toda a gestão, mão de obra e logística das obras na Mostra:

– Sinalizar o que cada profissional poderá fazer de alterações em seu espaço

– Orientar com relação a obras (entradas, locais de apoio, entre outros).

– Entrega da planta do espaço de cada participante.

Início das obras:

15 de fevereiro e terminam na PRIMEIRA SEMANA de abril.

Mostra:

27 de abril a 31 de maio

Homenageada:

Irene Torre:

“Quando me convidaram para fazer parte da Mostra, eu tive um grande momento de reflexão, porque na verdade a gente vai levando a vida e trabalhando no que gosta, fazendo as coisas com amor e a gente não presta atenção em tudo que envolve isso, e fiz uma revisão na minha vida: de como eu vim parar na arquitetura, como eu me especializei em interiores, porque eu venho de uma família que meu pai é engenheiro e sonho da vida dele era que eu fosse engenheira e eu achei que poderia não dar muito certo, e não era bem isso que eu queria e eu consegui fazer arquitetura, que era uma coisa fora da caixa completamente, ainda mais naquela época, estamos falando de 40 anos atrás, porque estávamos num regime muito fechado, você não podia se manifestar, e eu sempre tive a cabeça fora da caixa. A faculdade em Santos era muito boa mas não tinha nenhuma especialização, e depois de dois anos de formada eu pensei, preciso fazer alguma coisa, e eu sai pra um mercado que não tinha ninguém trabalhando, que arquiteto fazia arquitetura e o decorador fazia decoração, e o decorador não tinha atribuições para fazer algumas coisas especialmente em relação a obras, não tinha conhecimento pra isso, e eu larguei tudo, para fazer alguma coisa que eu realmente pudesse fazer com amor, e foi aí que comecei a trabalhar na área de arquitetura de interiores onde não havia especialização nenhuma, durante minha vida profissional eu fiz muitos cursos, de iluminação, detalhamento de imobiliário, uma série de coisas e a gente começa a viajar, começa a ver o mundo maior.”

Curador:

Álvaro Guillermo:

Diretor da agência de Estratégias Criativas de Consumo e Marcas, Mais Grupo desde 1982, 35 anos de mercado. Arquiteto, designer e Mestre em Arte, Educação e História da Cultura. Especialista e pesquisador em consumo do Design. Professor de pós-graduação, MBA dos cursos Ciências do Consumo e Design Estratégico, da ESPM SP, da Universidade Nacional de Buenos Aires (UNOBA) e da Universidade Nacional de Mendoza, na Argentina.

Autor dos livros Design: do virtual ao digital e Branding: Design e Estratégias de Marcas. Autor de artigos em diversas revistas da área e editor de livros na área. Consultor do Programa Brasileiro de Design e de diversos programas regionais de Design. Criou e é gestor de diversos Clubes de negócios nas áreas de design de interiores e construção. Coordena visitas técnicas nacionais e internacionais com grupos de negócios e empresários. Desenvolve estratégias de consumo em diversos mercados, principalmente luxo.
Curador de diversas mostras, entre elas Homem Natureza para Credicitrus e Bandeiras de São Paulo exposta na Semana de Design de Milão e na Casa Cor SP.
Trabalha com grupos criativos e economia criativa desde os anos 90.
Visita diversos festivais mundiais de criatividade e design.
Tem prêmios de destaque como Bienal Brasileira de Design, Museu da Casa Brasileira, Gift Fair, Rede Globo de Cultura, Mário Covas do governo do Estado de São Paulo e IF Design. Foi Júri de vários prêmios e concursos.

Praia Grande:

Este é a cidade que mais cresceu nos últimos anos na Baixada Santista. Segundo os dados do censo IBGE, Praia Grande deu um enorme salto no número de residentes – de 150 mil para mais de 300 mil no período de 20 anos – gerando novos empregos, negócios e aumentando consistentemente a renda per capta do seus moradores, bem como de seus frequentadores.

O Bairro: Canto do Forte

Considerado o bairro mais nobre de Praia Grande, situado na extrema ponta da cidade, onde fica a famosa Fortaleza de Itaipú.
O bairro se caracteriza pela beleza e imponência das casas, novas construções de alto padrão e gastronomia de requinte. Sua exclusividade chama a atenção de moradores e turistas que buscam na noite uma solução de entretenimento e lazer.

apn_arquitetos

Verão no Clima: PG realiza mutirão de limpeza na praia

Ação ocorre a partir das 8 horas, na praia do Boqueirão

Como parte da programação da Campanha Verão no Clima, em Praia Grande, a Secretaria de Meio Ambiente (Sema) realiza um mutirão de limpeza da praia. A ação ocorre no próximo sábado (20), a partir das 8 horas, na tenda do programa do Governo do Estado, situada ao lado da Arena Boqueirão. Moradores e turistas podem participar da atividade que visa à coleta de lixo na faixa de areia.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Israel Lucas Evangelista, o mutirão ocorrerá com a participação do programa Praia Limpa da Pé. “Para participar no dia, convidamos a Câmara Municipal, associações voltadas a questões ambientais, como a Biopesca, o Camp, além de organizações não governamentais engajadas no tema. A comunidade também pode aderir e se juntar à ação”, afirmou.

O mutirão terá a finalidade de fomentar junto aos banhistas a consciência de destinar de forma correta os resíduos produzidos na praia. Para isso, ao longo do percurso até o Emissário, na praia do Canto do Forte, os participantes farão a limpeza da faixa de areia (com destaque para a coleta de microlixo) e aproveitarão para orientar os frequentadores sobre os malefícios do descarte irregular de resíduos.

Coordenada pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente, Verão no Clima ocorre em 16 cidades da Baixada Santista, Vale do Ribeiro e Litoral Norte. A iniciativa busca mobilizar a população com ênfase para a responsabilidade de cada cidadão pela geração e descarte de lixo nas áreas de lazer e nas areias das praias. Para isso, ações presenciais à beira-mar e por meio das redes sociais serão realizadas.

A iniciativa foi inspirada no conceito do projeto Operação Praia Limpa iniciado em 1987, pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e desenvolvido durante nove anos pela Secretaria de Meio Ambiente. Posteriormente, a ação foi absorvida pelas prefeituras em atividades locais para conscientizar os turistas e frequentadores das praias da necessidade de mantê-las limpas, evitando, assim, a propagação de doenças e a degradação do meio ambiente.

Participação – Além das secretarias estadual e municipal de Meio Ambiente, estão envolvidos nas ações da Operação Verão no Clima as seguintes pastas: Governo (Seg), Urbanismo (Seurb), Serviços Urbanos (Sesurb), Esporte e Lazer (Seel) e Cultura e Turismo (Sectur).

Vias no Bairro Antártica são interditadas para obras de revitalização


Bloqueios acontecerão por aproximadamente 60 dias

Com a continuação das obras de revitalização do Bairro Antártica, diversas vias do local precisarão ser bloqueadas a partir desta sexta-feira (5), às 8 horas. A previsão é que os locais permaneçam interditados por aproximadamente 60 dias, enquanto durarem as obras que compreendem nova pavimentação asfáltica e cobertura das calçadas.

As quadras que serão fechadas são: a Rua José Julio Martins Batista, da Rua Maria Rosa Corrêa a Rua Maria Cão Viño; Rua Augusto Ribeiro Pacheco, entre a Rua Madalena Garcia Fonseca e a Rua Durval Fonseca; e Rua Maria Rosa Corrêa, da Rua Samuel Aunweor e Rua José Julio Martins Batista.

Outras informações sobre o trânsito de Praia Grande podem ser obtidas através da linha gratuita e 24 horas da Secretaria de Trânsito (Setran), o 0800-7720194.

Obras – Os serviços executados são a retirada da atual cobertura do leito carroçável das vias, nivelamento e nova pavimentação asfáltica reforçada, já visando o trânsito de veículos pesados futuramente, como os de transporte coletivo. As calçadas serão niveladas e receberão piso intertravado de concreto e equipamentos de acessibilidade, como o piso podotátil (para pessoas portadoras de deficiência visual) e rampas de acesso.

PG recolhe 600 toneladas de lixo da orla durante Réveillon 2017/2018

trator
Quantidade é 52% maior que a recolhida na virada do último ano
2/1/2018

Como um dos quatro principais destinos de turistas do País, Praia Grande recebeu aproximadamente um milhão de visitantes na noite do réveillon 2017/2018. Com isso, a limpeza da orla durante este período foi reforçada e neste ano, das 2 às 8 horas de segunda-feira (1º), a Secretaria de Serviços Urbanos (Sesurb) recolheu 595,9 toneladas de lixo na faixa de areia e calçadão da praia. A quantidade foi 52% superior a do mesmo período do ano anterior, quando foram recolhidas aproximadamente 283 toneladas.

Durante a ação especial de réveillon, aproximadamente 350 funcionários da Sesurb ficaram encarregados da limpeza da praia, entre os Bairros Canto do Forte e Solemar. Além da atividade especial para a comemoração do Ano Novo, o setor ainda intensificou a limpeza de toda a Avenida Presidente Castelo Branco, calçadão da praia e faixa de areia. A ação será mantida até o Carnaval.

Segundo o diretor de Manutenção da Orla, Carlos Rodrigues Bonito Jr., para realizar o serviço de forma mais eficiente, os trabalhadores foram divididos em equipes que agiram no calçadão da praia e faixa de areia. “A preocupação da Administração Municipal é manter a Cidade sempre limpa para moradores e turistas”, explicou.

Além da ação na madrugada de 1º de janeiro, o trabalho diário acontece diariamente por equipe de cerca de 300 funcionários e aproximadamente 15 máquinas e 20 caminhões, atuando exclusivamente na limpeza da praia sempre a partir das 19 horas. Pelo menos 80 servidores fazem a limpeza do calçadão, divididos por equipes. Além disso, foram instaladas na orla caçambas de 1000 litros, com uma distância aproximada de 100 metros entre elas.

Os demais funcionários são responsáveis pela limpeza da faixa de areia, além de vias arredores com grande fluxo de pessoas, como a Avenida Marechal Mallet, Avenida Presidente Costa e Silva, Rua Dr Vicente de Carvalho e Avenida dos Sindicatos.

Para realizar o trabalho de forma ágil, a manutenção é setorizada e é feita pela Divisão de Limpeza da Orla (Regional 2) no trecho Canto do Forte/Mirim, e pela Divisão de Manutenção de Vias (Regional 4) no restante da praia, no trecho Maracanã/Solemar. As equipes são divididas em três: a de limpeza do calçadão, a que realiza o serviço na faixa de areia e funcionários que trabalham no apoio do serviço (entre setores administrativos, motoristas, ajudantes de caminhão e coletores de lixo recolhidos na orla).

A diretora da Divisão de Manutenção de Vias, Francisca Iraci do Nascimento, responsável pelo setor que realiza a limpeza da orla no trecho entre o Maracanã e o Solemar, explicou ainda que a ação é comum durante a temporada. “A Cidade costuma receber muitos turistas no verão e a praia é, sem dúvida, um dos destinos mais procurados. Com o trabalho de limpeza mais intenso e realizado em sua maioria no período noturno deixamos o local mais agradável, sem incomodar os banhistas”, afirmou.

Lixo no lixo

Complexo Andaraguá

Complexo andagraguá

Complexo Empresarial: Terá um área destinada a instalação de empresas produtivas de diversos segmentos, importadoras e exportadores, tais como: auto peças, peças para maquinários, máquinas industriais, metalúrgica, equipamentos elétricos, produtos farmacêuticos e hospitalares, equipamentos industriais, produtos alimentícios, embalagens plásticas, aço e metais, móveis, produtos para construção civil, dispositivos hidráulicos, componentes eletrônicos, material de informática em geral, laminados de plásticos e outros segmentos.

Localização: Rodovia Padre Manuel da Nóbrega – SP55 – Bairro Andaraguá – Divisa com o Município de São Vicente;

Área total do projeto: 4.853.686,20 m²
Área reservada à instalação do complexo empresarial de 212 empresas: 1.626.000,00 m²
Área destinada ao comércio: 444.843,00 m²
Área destinada ao estacionamento de caminhões: 31.500,00 m²
Área destinada ao Heliponto e Estacionamento: 176.218,00 m²
Área destinada à implantação do Aeródromo: Para conter o polígono do aeroporto, pistas de pouso e de táxi, pátio de manobras, foi reservada no projeto uma área de 2.575.125,00 metros quadrados. Tais dimensões proporcionam condições reais de receber uma pista de pouso de até 2.600mts. x 45mts., permitindo a operação de aeronaves de grande porte. Através do ofício nº 568 – datado de 25 de Abril de 2.008, assinado pelo Superintendente de Infra-Estrutura Aeroportuária da ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil, Sr. Anderson Ribeiro Correia, autorizou a construção do aeródromo de Praia Grande.

Estimativa de custo da implantação do Complexo Empresarial: R$ 440 milhões
Estimativa de custo da implantação do Aeródromo: R$ 80 milhões
Estimativa de empregos gerados: 15 mil (diretos)

Tipos de empresas, voltadas à exportação mais adequadas ao complexo:

1) Indústrias voltadas à área de tecnologia;
2) Indústrias químicas e bioquímicas;
3) Indústrias farmacêuticas;
4) Indústrias de automóvel

Forma de execução: Após a conclusão do licenciamento ambiental que está sendo elaborado pela empresa Geotec Ambiental, será formado uma parceria entre as empresas que se instalarão no local, empresas com participação no empreendimento e órgãos públicos. Objetivos: Abrir novas perspectivas para a região metropolitana da Baixada Santista, pela capacidade de geração de empregos e de mobilização econômica que ele enseja.

Contatos e maiores informações:
Icipar Empreendimentos e Participações Ltda.
André Ursini – Diretor de Expansão
Tel. +55 (11) 7857-2000
e-mail: andre.ursini@icipar.com.br

 

Assista a “Reunião Pública sobre o Complexo Empresarial Andaraguá – 31/08/2017” no YouTube

Sugestão da leitora “Simone Ramos”

Escada atéo mar

Frequento a praia no bairro da Guilhermina e a areia é fina e quente devido a grande extensão da faixa de areia. Minha mãe idosa tem dificuldade para andar nela e os cadeirantes nem se fala. Eis uma sugestão para a praia. Já que as reformas no calcadão e na iluminação ficaram tão boas, nosso prefeito pediria partir para dentro da praia.

1
%d blogueiros gostam disto: