• +55 13 99615 8477
  • osvaldo.costa@euamopg.com

Praia Grande

Direto do helicóptero para saborear o bolinho de bacalhau do Toninho do Pepitas

Lançamento MC Lan, MC W1, MC Nando DK e DJ Gege – Cheio de Novinha (KondZilla)

Louis Medheiros (Ducasco) e Força Coletiva no Quintal Caiçara

Louiz Medheiros apresentará seu projeto acústico no quintal mais famoso do Boqueirão e receberá os rappers do grupo Força Coletiva, da zona oeste da cidade de São Paulo.

 Resultado de imagem para facebook Clique e Participe do evento no Facebook

Aloha, Praia Grande!

Stand Ipa receberá duas atrações de peso na 4ª edição do Quintal Caiçara

Louiz Medheiros

É um cantor e compositor que compõe uma das bandas de grande prestígio entre o público caiçara e há anos trilha uma brilhante carreira. Já participou de diversos festivais importantes no cenário, como o extinto Circuito Reggae. Na época a banda dividiu palcos com Leões de Israel, Mato Seco, Reggae Style, To Fly, Damata, Planta e Raiz entre tantas outras bandas que construíram grande parte da história do Reggae Music Brasileiro.

Em entrevista para a nossa equipe, Louiz Medheiros comentou sobre o objetivo de retomar as atividades com a Banda Duscasco, mas disse que no momento preferem trabalhar tranquilamente, sem gerar nenhum tipo de pressão sobre essa ideia.

Atualmente, Louiz tem se dedicado ao seu projeto solo acústico. Nesse formato o artista apresenta diversas canções da Banda Ducasco e algumas releituras de clássicos de outros artistas do Reggae, MPB e Pop Rock Nacional. Um som muito bem feito com voz, violão, percussão e baixo. Com este projeto o grupo tem se apresentado em alguns bares da Baixada Santista.

Força Coletiva

A partir das 18 horas a programação contará com a abertura do grupo  paulistano Força Coletiva.  O grupo se destaca por misturar gêneros como Rap, Hip Hop, Reggae, Ragga e Dance Hall, suas letras bem elaboradas e a postura artística e profissional que esse coletivo vem apresentando. Já participaram de diversos projetos culturais e sociais na região do Jaraguá, Pirituba e entre outros bairros ao redor da zona oeste da cidade de São Paulo e se mantem ativos no cenário em alta rotação.

Jotta Mc usa o Rap como ferramenta de comunicação para o bem e não para apenas reclamar.

O cantor e compositor, Jotta Mc iniciou sua carreira em 1997 escrevendo poesias e letras de músicas. Em seguida conheceu o Rap através dos grupos de destaques daquela época como Racionais Mcs, RZO entre outros. Logo em seguida com o apoio de dois amigos montou o primeiro grupo chamado Subúrbio ZO e lançamos um álbum intitulado “Campo de Batalha” no ano 2000. Após este projeto o cantor  participou de muitos outros em parceria com diversos cantores e Mcs tanto no MPB quanto no Reggae, Ragga, Dancehall e Rap

Não, o Rap não é só pra reclamar! Ele também é uma ferramenta de manifestação em agradecimento por tudo o
que conquistamos em nossa vida.

Jotta Mc

 

Programação do Quintal Caiçara 4ª Edição

18:00 Início da Programação

18:15 – Força Coletiva (1ª entrada)

19:15 – Louiz Medheiros (1ª entrada)

20:15 – Força Coletiva (2ª entrada)

21:15 – Louiz Medheiros (2ª entrada)

22:00 Finalização do evento

 

Tribo de Jah retorna à Praia Grande e Fidi se apresenta pela 1ª vez na cidade.

Banda retorna em Praia Grande

Vamos de Reggae!

Localização daO Reggae é um gênero musical que tem suas origens na Jamaica. O auge do reggae ocorreu na década de 1970, quando este gênero espalhou-se pelo mundo. É uma mistura de vários estilos e gêneros musicais: música folclórica da Jamaica, ritmos africanos, ska e calipso. Apresenta um ritmo dançante e suave, porém com uma batida bem característica. A guitarra, o contrabaixo e a bateria são os instrumentos musicais mais utilizados.

As letras das músicas de reggae falam de questões sociais, principalmente dos jamaicanos, além de destacar assuntos religiosos e problemas típicos de países pobres. O reggae recebeu, em suas origens, uma forte influência do movimento rastafári, que defende a ideia de que os afrodescendentes devem ascender e superar sua situação através do engajamento político e espiritual.

Os anos 70 (década de 1970) foi a época dos grandes sucesso do reggae. Várias músicas marcaram época e alcançaram o topo na lista de sucesso das rádios: I Shot the Sheriff  (versão de Eric Clapton), Peter Tosh com Legalize It e No WomanNo Cry de Bob Marley.

Vários cantores e bandas passam a incorporar o estilo reggae a partir dos anos 80 (década de 1980). Eric Clapton, Rolling Stones e Paul Simon fazem músicas, utilizando a batida e a sonoridade dançante e suave. Atualmente, vários cantores e bandas fazem sucesso nesse gênero musical: Ziggy Marley, Beres Hammond, Pulse, UB 40 e Big Mountain.

Tribo de Jah e o Reggae no Brasil

Resultado de imagem para tribo de jah

Foi na região norte/nordeste do Brasil que o reggae entrou com mais força. No estado do Maranhão, principalmente na capital São Luís, é comum a organização de festas ao som de reggae. Na década de 1970, músicos como Gilberto Gil e Jorge Ben Jor são influenciados pelo estilo musical jamaicano. Na década de 1980, surge uma das bandas precursoras no Brasil, a Tribo de Jah.

A história da banda Tribo de Jah iniciou-se na Escola de Cegos do Maranhão, onde, se conheceram os quatro músicos cegos e um quinto músico com visão parcial (apenas em um olho), lugar em que viviam em regime de internato, começaram a desenvolver o gosto pela música improvisando instrumentos e descobrindo timbres e acordes. Posteriormente passaram a realizar shows nos bailes populares da capital (São Luiz) e outras cidades do interior do estado fazendo covers de seresta, reggae e lambada.

Imagem relacionadaFoi neste momento que surgiu o radialista Fauzi Beydoun, nascido em São Paulo, filho de italianos com libaneses, que já havia morado quatro anos na Costa do Marfim (África), grande aficionado pela cultura reggae a qual era efervescente em São Luis nos anos 80, e que se tornou um fenômeno quase inexplicável nas terras brasileiras do Maranhão, invadindo inicialmente os guetos para depois tomar toda cidade, o interior do estado e até os estados vizinhos.

O reggae viria marcar profundamente a já tão forte e original cultura maranhense, contestado por uma minoria de intelectuais conservadores e abraçado pela grande massa, que através desse estilo musical originaria o título de “JAMAICA BRASILEIRA” à capital do Maranhão. Centenas de clubes de reggae com suas “radiolas” (potentes equipamentos de som que se encarregavam de divulgar o ritmo quando ainda não era tocado nas rádios) e depois diversos programas de rádios que finalmente viriam aderir o mesmo em busca de audiência justificariam largamente o título conquistado.

Foi neste cenário que a Tribo de Jah deu a partida para difundir o seu reggae roots até os ossos, com suas mensagens de amor e paz, políticas sociais e divinas, as quais afastaram das grandes gravadoras, as rádios não tocavam, a TV tampouco informava e os jornais faziam vistas grossas. De forma independente a Tribo de Jah foi fazendo shows e divulgando seus discos, hoje conta com uma gravadora e uma distribuição a nível nacional.

Imagem relacionada

Passados dez anos de trabalho com direito a uma escala no principal palco do reggae mundial (REGGAE SUNSPLASH FESTIVAL – JAMAICA 95), após ter se apresentado nos quatro cantos do país (de Belém a Porto Alegre, passando pelo Canecão e Metropolitam – Rio, Palace e Olympia – São Paulo) e alguns pontos internacionais (Buenos Aires – Argentina, Caiena – Guiana Francesa, além de shows na Europa em paises como a França e Itália) denotam o momento muito especial no caminho que a Tribo de Jah vem trilhando para um inevitável reconhecimento de seu trabalho tanto no Brasil como no exterior.

Com 30 anos de carreira e muita lenha pra queimar, Tribo retorna à Praia Grande

A banda já tocou muito na cidade em festivais de reggae na Boulevard, inclusive em um festival chamado Caiçara in Canto que foi um marco nos anos 90.

Rafael Labate, tecladista da Tribo de Jah

Em entrevista para o nosso portal, Fauzi Beydoun falou a respeito da importância da visita da Tribo na cidade, bem como o movimento cultural, os constantes desafios que a banda tem encarado ao longo da carreira e um recado aos fãs e músicos que admiram e se inspiram com o seu trabalho.


Fidi, um pernambucano, cheio de energia e muita positividade.

Horemos é hora de acordar, Horemos é hora de despertar

Valterlins Herculano, mais conhecido como Fidi, é um músico, cantor, compositor e escritor de origem pernambucana.

Seu interesse pela música começou cedo, quando, ainda na infância e durante toda a adolescência, deixava-se embalar pelas canções de Luiz Gonzaga, Geraldo Azevedo, Zé Ramalho, Mutantes, Tim Maia e Raul Seixas, entre tantos outros nomes da musica brasileira.

Fidi é cidadão do mundo.

Após 20 anos vivendo na cidade de São Paulo, decidiu iniciar o novo milênio na pacata cidade mineira de São Thomé das Letras, onde começou a desenvolver seus primeiros trabalhos como músico.

Após uma temporada de vai e vem entre a capital paulista e pequenas cidades mineiras, o artista passou, ainda, por São Sebastião, no litoral norte paulista, e vive, atualmente, em Campos do Jordão, na região vale-paraibana de São Paulo. Antes de iniciar, oficialmente, sua carreira em cima dos palcos, Fidi ganhava a vida como empresário e, posteriormente, produtor de eventos.

Apesar do amor pela música, a desvalorização dos artistas independentes foi o que tardou seu crescimento como músico, entretanto, os anos de estrada, a vivência como empresário e a maturidade foram experiências fundamentais para seu desenvolvimento. Assim como a Tribo de Jah, Fidi também visitou a Praia Grande pela primeira vez.

Em entrevista para o nosso portal, o artista falou sobre seus planos para o futuro, os grandes desafios que a cultura enfrentando no cenário econômico atual, mas não esmorece quando perguntamos sobre desenvolver um novo movimento para a nossa cidade, que é carente de eventos deste porte.

Assista a entrevista para o portal Eu Amo PG.

 

 

 

Praia Grande de Portugal

4ª Sessão Extraordinária 24-04-2018

PG vence no Estadual de Handebol Masculino

Time adulto da Cidade derrota Jacareí
24/4/2018

Atuando em casa, a equipe masculina adulta (mais de 18 ) de Praia Grande (Secretaria de Esporte e Lazer – SEEL) venceu o selecionado da Prefeitura de Jacareí por 22 a 17, em partida válida pela terceira rodada do Campeonato Estadual de Handebol promovido pela Liga Paulistana (LPHB). O confronto realizado no último domingo (22), ocorreu no Ginásio Falcão (Bairro Mirim). 

Com este resultado, na classificação parcial, o time local está na segunda posição isso porque nas partidas realizadas anteriormente, os rapazes da Cidade venceram o time da Prefeitura de Diadema por 26 a 24 e perderam para a turma de Mongaguá por 35 a 29. Na primeira fase da competição, estas equipes (Praia Grande, Diadema, Jacareí e Mongaguá) jogam todas contra todas, em turno e returno, qualificando-se as duas primeiras colocadas para a etapa semifinal.

Próxima – No dia 20 de maio, a partir das 10 horas, no Ginásio do Alphaville Tênis Clube, em São Paulo, na Capital, o selecionado masculino mirim (até 12 anos) de Praia Grande estreia no Campeonato Estadual da Liga Paulistana. Os meninos da Cidade enfrentam as turmas de Jacareí, Escola Estadual Professor Wilson Roberto Simonini e Alphaville TC.

Mais – Além das equipes adulta e mirim, outros quatro times masculinos de Praia Grande disputam a competição estadual. Nos jogos já realizados, na categoria juvenil (17 e 18 anos), a turma local venceu Mongaguá por 32 a 17. Na cadete (15 e 16), perdeu para o Pinheiros por 34 a 16. Na infantil (13 e 14), derrotou Mongaguá por 26 a 6 e foi superado pelo Pinheiros por 30 a 13. Vale frisar que os times da Cidade – que treinam no próprio Ginásio Falcão – são comandados pelo professor Evandro Luiz Andrade com auxílio de Luciene Gonçalves, a Cuba. 

Dados – Na última temporada, a turma juvenil de Praia Grande sagrou-se campeã paulista da LPHB. Na decisão, os rapazes da Cidade venceram o time do Clube Paulista de Handebol/Sírio Libanês por 31 a 27. Na semifinal, ganharam de Santo André por 31 a 17. Na primeira fase da competição, derrotaram Mongaguá (duas vezes) por 31 a 17 e 26 a 18; Santo André (duas vezes) por 25 a 12 e 24 a 21; Francisco Morato por 23 a 17, e Clube Paulista de Handebol/Sírio Libanês por 30 a 25; empataram com o Clube Paulista por 20 a 20; e perderam para o Colégio Eduardo Gomes/São Caetano do Sul por 31 a 29. 

Na infantil, na decisão do terceiro lugar, o grupo da Cidade ganhou de Taubaté por 16 a 12. Na semifinal, havia perdido para o Esporte Clube Pinheiros. Na primeira fase, venceu por 18 a 13 São Vicente e por 25 a 18 Taubaté; perdeu por 31 a 14 para o Esporte Clube Pinheiros e por 10 a 4 para Taubaté. Na cadete , na decisão do bronze, a turma de Praia Grande superou a turma do CESC/Rio de Janeiro por 35 a 34. Na semifinal, perdeu para o Pinheiros. Na primeira fase, venceu Pindamonhangaba por 32 a 17, Taubaté por 29 a 21 e Santo André por 23 a 15 e 20 a 12; perdeu para o Esporte Clube Pinheiros por 29 a 25 e Taubaté por 27 a 24. 

Na adulta (idade livre), na decisão do terceiro lugar, a equipe praia-grandese passou por Franco da Rocha por 36 a 20. Na semifinal, perdeu para Diadema. Na primeira fase, ganhou de Diadema por 31 a 26; perdeu para Franco da Rocha por 24 a 23, São Vicente por 22 a 19, Diadema por 35 a 25 e Mongaguá (duas vezes) por 26 a 24 e 27 a 26. 

Em 2013, foi a primeira vez (e até então única) que as equipes masculinas de Praia Grande disputaram o Campeonato Estadual da Liga Paulistana de Handebol. Naquela oportunidade, a turma cadete (15 e 16 anos) de Praia Grande conquistou, de forma invicta, a medalha de ouro. Na decisão, o time municipal venceu, por 26 a 24, o grupo da Prefeitura de Jacareí. A garotada da infantil faturou o bronze.

PG encara Franca no Paulistão de Basquete sub-17

Time da Cidade atua no Ginásio do Bairro Samambaia
24/4/2018

Neste sábado (28), às 10 horas, no Ginásio do Bairro Samambaia (Avenida Maria Cavalcante da Silva, 10), a turma masculina sub-17 de Praia Grande (Secretaria de Esporte e Lazer – SEEL, Centro Educacional Vila Verde e Associação Realizar) joga contra o time do Franca Basquete, em duelo válido pela sexta rodada da chave A, na primeira fase do Campeonato Estadual regido pela Federação Paulista de Basquete (FPB). 

Atuam pela Cidade os jogadores Guilherme Bruno, Rafael Messias Júnior, João Gustavo, Raul Vieira Jorge Luz, Leonardo Santos, André Luiz Lima Conceição, Pedro Lucas Chaboudet Luna, Gabriel Diocedo de Castro, Samuel Guedes Menezes, Jorge Silva, Elias Santos de Souza, Ruan, Luis Felipe, Felipe, Jefferson, Leonardo e Gabriel Ribeiro Chagas. Técnico: Osvaldo José de Assis Pinheiro. Auxiliar: Fábio Roberto de Souza Silva. 

Dados – Nas partidas já realizadas na primeira fase da competição, o grupo de Praia Grande sofreu cinco derrotas. O time municipal perdeu para o do Nosso Clube de Limeira por 73 a 66, CAC/APAB Cravinhos por 77 a 34, a equipe do Clube Espéria por 70 a 62, o selecionado do CBC/Tênis Clube Campinas por 95 a 45 e a turma do Clube Internacional de Regatas, de Santos, por 61 a 59.

Na primeira fase, os selecionados jogam em turno e returno dentro de cada grupo, qualificando-se os quatro primeiros para a segunda fase na chave C e as demais para a chave D. Além de Praia Grande, integram a chave A da competição os times do Tênis Clube de Campinas, Cravinhos, Internacional, SESI-SP/Franca Basquete, Clube Espéria e Nosso Clube Limeira. Na B, atuam os times do Mogi das Cruzes/Helbor, Esporte Clube Pinheiros, Sendi/Bauru Basket e Tenis Clube/Overtime.

Retrospecto – No Paulistão de Basquete 2017, a equipe masculina sub-17 de Praia Grande garantiu a quarta colocação na série bronze. Na semifinal do chamado final four, o time de Praia Grande perdeu para a equipe do Clube Internacional de Regatas de Santos por 71 a 36. Na decisão do terceiro lugar, o selecionado municipal foi derrotado por Fernandópolis/AEC por 48 a 39. O título da disputa ficou com o grupo do Santo André/APABA que na decisão superou o Internacional por 64 a 57. Vale frisar que nesta etapa, competiram os times que ficaram do nono ao 12º lugar na primeira fase da competição. A turma de Praia Grande terminou em 11º lugar.

Já a seleção masculina sub-19 de Praia Grande encerrou a participação no Campeonato Paulista de Basquete na segunda fase (série D) da competição. Nas partidas realizadas, venceu o Tênis Clube de Campinas/CBC por 57 a 48, perdeu para o XV de Piracicaba (73 a 48 e 60 a 51), Tênis Clube de Campinas (68 a 51), Time Jundiaí de Basquete (por 72 a 33 e 68 a 37), Esporte Clube Pinheiros (117 a 36 e 132 a 24), Clube Atlético Paulistano (106 a 35 e 109 a 26), Associação Atlética São Caetano do Sul (86 x 57 e 86 a 55), Sociedade Esportiva Palmeiras (120 a 41 e 107 a 49) e Mogi das Cruzes/Helbor (102 a 50 e 100 a 43).

Judocas faturam 18 medalhas no Paulistão Inter-Regional

Atletas da Cidade ganham 5 ouros, 6 pratas e 7 bronzes
24/4/2018

A equipe de Praia Grande (Secretarias de Esporte e Lazer – SEEL – e Educação – Seduc) conquistou 18 medalhas (cinco ouros, seis pratas e sete bronzes) no Campeonato Paulista Inter-Regional de Judô, nas classes sub-11 e sub-13 aspirante (atletas que só competem em eventos no Estado), sub-15, sub-18 e sub-21 divisão especial, evento regido pela Federação Paulista (FPJ). A competição realizada no último domingo (22), ocorreu no Ginásio do SESC, em Santos.

O Paulistão Inter-Regional (até 2014 era denominado Campeonato Estadual do Interior) envolveu equipes das 7ª, 11ª, 14ª e na 16ª Delegacias Regionais da FPJ. Ao todo, mais de 300 judocas competem representando times da Região Metropolitana da Baixada Santista, Vale do Ribeira e Região Sudoeste do Estado. Os quatro atletas primeiros colocados, em cada categoria e sexo, garantiram vagas para disputar a fase final dos respectivos Campeonatos Paulistas.

Os judocas praia-grandenses comandados pelos professores Danusa Shira Bittencourt, Alberto Silva Bittencourt e Rodrigo de Matos, qualificaram-se para o Inter-Regional após subirem no pódio do Campeonato Regional (organizado pela 11ª Delegacia Regional da FPJ) realizado em março, no Ginásio Falcão (Bairro Mirim). Na oportunidade, eles faturaram 26 medalhas (6 ouros, 8 pratas e 12 bronzes). 

Confira os medalhistas de Praia Grande no Campeonato Paulista Inter-Regional de Judô 2018:

ouro (5)
Camilla Yazaki – sub-13 – meio-médio (38 a 42 kg)
Isabella Victoria Soares de Almeida – sub-13 – superpesado (mais de 60 kg)
Vinicius Pereira Oliveira – sub13 – meio-pesado (47 a 52 kg)
João Marcelo Morato de Oliveira – sub-18 – superligeiro (até 50 kg)
Gustavo Santos Gomes – sub-18 – leve (60 a 66 kg)

Prata (6)
Amanda Silva Souza – sub-21 – pesado (mais de 78 kg)
Elton Luis Ferreira Barbosa – sub-13 – ligeiro (28 a 31 kg)
Matheus Victor Silva de Macedo – sub13 – meio-pesado (47 a 52 kg)
Matheus Ferreira de Aquino – sub-18 – superligeiro (até 50 kg)
Fábio Lescreck dos Santos – sub-18 – ligeiro (50 a 55 kg)
Fábio Lescreck dos Santos – sênior – superligeiro (até 55 kg)

bronze (7)
Maria Júlia Silva da Fonseca – sub-11 – ligeiro (28 a 30 kg)
Liriel de Oliveira Santos – sub-18 – leve (48 a 52 kg)
Flávia Marcela da Silva – sub-18 – leve (48 a 52 kg)
Helena Valdger Siqueira – sub-18 – médio (57 a 63 kg)
Alicia Santos Bonfim – sub-21 – pesado (mais de 78 kg)
Sean Ryota Shinzato Onohara – sub13 – meio-pesado (47 a 52 kg)
Caio de Carvalho Cucato – sub-13 – pesado (52 a 60 kg)

Retrospecto – Vale frisar que no Paulistão Inter-Regional de 2017, a equipe de Praia Grande conquistou 24 medalhas (nove ouros, nove pratas e seis bronzes). Destaque para os campeões Isabella Victoria Soares, na sub-11, no peso superpesado (mais de 55 quilos); Amanda Morato de Oliveira, na sub-13, no leve ( 34 a 38 kg); Flávia Marcela da Silva, na sub-15, no leve (44 a 48 kg); Anna Beatriz Schittine Damasceno, na sub-15, no médio (53 a 58 kg).

E ainda, Thamiris Anacleto Neris Cabral, na sub-21, no leve (52 a 57 kg); Amanda Silva Souza, na sub-21, no pesado (mais de 78 kg); Davi Lucas Guimarães Masini, na sub-11, no leve (33 a 36 kg); Gustavo de Lima Silva, na sub-11, no meio-médio (36 a 40 kg); Matheus Victor Silva de Macedo, na sub-13, no médio (42 a 47 kg). Em 2016, o time da Cidade obteve 20 medalhas (sete ouros, quatro pratas e nove bronzes). Em 2015, faturou 15 medalhas (cinco ouros, seis pratas e quatro bronzes).

Time sub-9 de PG vence no Estadual de Futsal Iniciação

Equipe local consegue primeiro triunfo na competição
24/4/2018

A equipe masculina sub-9 de Praia Grande (Secretaria de Esporte e Lazer – SEEL, Sucos Camp, Centro de Treinamento Falcão 12 e Liga Praia-grandense de Futsal – LPFS) conseguiu a primeira vitória no Campeonato Estadual de Futsal Iniciação, série A-1, evento regido pela Federação Paulista (FPFS). Em partida realizada no último domingo (22), no Ginásio Rodrigão (Bairro Mirim), em confronto válido pela terceira rodada da chave A, o time local derrotou o do Ribeirão Pires Futebol Clube por 2 a 1 (gols de Diogo Nascimento e Miguel Barbosa).

Na mesma rodada e também contra Ribeirão Pires jogaram outras duas equipes de Praia Grande. A turma sub-8 empatou em 1 a 1 (Zion Aráujo). Já a sub-10 perdeu por 3 a 2 (Guilherme Santana e Richard Batista). Com estes resultados, na classificação parcial da competição, a turma sub-8 de Praia Grande está em 11º lugar com um ponto, um empate, duas derrotas, um gol pró e 23 gols contras. A sub-9 é oitava posicionada com três pontos, um triunfo, duas perdas, três gols feitos e 12 sofridos. A sub-10 ocupa a 10ª colocação com nenhum ponto, três derrotas, três gols prós e 13 contras.

Dados – Segundo o regulamento, na etapa inicial as equipes foram divididas em três grupos (ABC), jogam em turno e returno dentro de cada chave. Após o encerramento da primeira fase, todos os times participantes qualificam-se para a segunda etapa. A partir daí, a FPFS estabelece um ranking de eficiência por meio de índice técnico (somatória da pontuação obtida nas três categorias, divididos pelos números de jogos realizados pelas equipes, multiplicados por 10). Aí, são criadas quatro divisões: ouro (reúne os times que ficaram entre os oito primeiros colocados no ranking), prata (9º ao 16º), bronze (17º ao 24º) e cobre (25º ao 30º).

Na fase inicial, os selecionados de Praia Grande disputam o grupo A, ao lado da Sociedade Esportiva Palmeiras, São Paulo Futebol Clube, ADC Inter-Mogi, Lausanne Paulista FC, AEC Incriveis, AD Santo André Futsal, Ribeirão Pires FC, Grêmio Recreativo Gremetal/Stismmmec e FAE/Osasco/Audax. No B, atuam as turmas do Sindicato dos Metalúrgicos de Jundiaí, CA Juventus, EC Hortolândia, CA Guarulhense, CTC Vila Ema, SAJEA/Omega, AA Portuários de Santos, SE Elite Itaquerense, Santos FC, ASF Magnus Sorocaba e Associação Portuguesa de Desportos. No C, competem os times da AD Mogi das Cruzes, São Caetano FC, Seleção Itapeviense, Suzano FC, São Caetano Futsal, Luso Brasileiro FC, Sport Club Corinthians Paulista, CA Tabuca Júniors, Associação União Mauá e ADC Mercedes Benz.

Retrospecto – No Estadual de Futsal Iniciação de 2017 (primeira vez que Praia Grande participou deste evento), a equipe masculina sub-9 de Praia Grande enfrentou o time do Clube Atlético Juventus, em duelo válido pela fase semifinal, série prata. O jogo terminou empatado em 3 a 3. Por ter realizado melhor campanha ao longo da competição, a turma do Juventus avançou a decisão. Na fase quartas de final, os outros dois times praia-grandenses acabaram sendo eliminados do torneio. Atuando na série bronze, o selecionado municipal sub-10 foi derrotado pela Associação Desportiva Classista Mercedes Benz, de Diadema, por 3 a 1. 

O grupo sub-8 de Praia Grande perdeu para a Academia de Esporte e Recreação Corpo e Cia, de Mogi das Cruzes, por 6 a 0. Na classificação final da primeira fase da competição, chave A, a turma sub-8 de Praia Grande terminou na sexta colocação com nove pontos, três vitórias, seis derrotas, 13 gols feitos e 36 sofridos. Na sub-9, o grupo local foi terceira posicionada, com 18 pontos, seis triunfos, três perdas, 41 gols prós e 35 contras. Na sub-10, o time da Cidade fechou em oitavo lugar, com sete pontos, duas vitórias, um empate, seis derrotas, 17 gols marcados e 41 levados. 
Jogos – Confira as escalações e todos os resultados das equipes de Praia Grande no Campeonato Estadual de Futsal Iniciação de 2018, série A-1:

sub-8 – Competem por Praia Grande Arthur Oliveira Rodrigues, Matheus Henrique Souza Oliveira, Kaynã da Silva Cruz, Yan Araújo Mendes, Matheus Morine Vallejo, Kauan Luiz Azevedo Sagaz, Gustavo Cameron, Henrique Luiz Gonçalves Gomes, Jorge Miguel Correnti Garcia Neto, Leonardo Augusto da Paixão, Zion Araújo Pedrozo Stella, Sérgio Henrique Cesar Nascimento Silva e Kaíque Yuichi Anastácio Tsumura. Técnico: Kleberton Nascimento. Auxiliar: Igor de Oliveira Gonçalves.

7/4 – Praia Grande/Ocian Praia Clube 0 x 11 Associação Desportiva Indaiatuba
15/4 – Lausanne Paulista FC 11 x 0 Praia Grande/Ocian Praia Clube
22/4 – Praia Grande/Ocian Praia Clube 1 x 1 Ribeirão Pires Futebol Clube

sub-9 – Atuam por Praia Grande Yan Felipe Carvalho de Souza, Leonardo Marinho dos Santos, Álvaro Mendonça Neme Damasceno, Pedro Henrique de Oliveira Vasconcelos Rodrigues, Mathias da Costa Welter, Natan Souza Tavares, João Pedro Gomes Pita, Bryan Lincoln Alves Pinto, Diogo Nascimento Napolitano Soares, Miguel Barbosa Araújo da Silva, João Pedro Ortega Taveira, Anthony Eduardo Leuzzi Guedes, Kauan Rodrigues Nunes Ferreira Santos, David Sousa Beserra, Cláudio Sini Neto e Breno Marques Rangel da Silva. Técnico: Matheus Cassita Gonçalves. Auxiliar: Igor de Oliveira Gonçalves. 

7/4 – Praia Grande/Ocian Praia Clube 0 x 6 Associação Desportiva Indaiatuba
15/4 – Lausanne Paulista FC 5 x 1 Praia Grande/Ocian Praia Clube
22/4 – Praia Grande/Ocian Praia Clube 2 x 1 Ribeirão Pires Futebol Clube

sub-10 – Jogam pela Cidade Gabriel Oliveira Maida, Kaique Pietro Bellini Haikel, Nikollas Dreger do Nascimento, Lucas Fernandes dos Santos, Francesco Pozzo, Guilherme Santana Alves, Lucas de França Silva, Renan Pereira Ribeiro, Richard Batista Cardoso dos Santos, Pedro Henrique Sanged Durante Moreira, David Munhoz Hiath, Luiz Henrique Souza dos Santos, Vinicius Nascimento Rodrigues e Davi Prates Tavares. Técnico: Kleberton Nascimento. Auxiliar: Igor de Oliveira Gonçalves. 

7/4 – Praia Grande/Ocian Praia Clube 0 x 2 Associação Desportiva Indaiatuba
15/4 – Lausanne Paulista FC 8 x 1 Praia Grande/Ocian Praia Clube
22/4 – Praia Grande/Ocian Praia Clube 2 x 3 Ribeirão Pires Futebol Clube

SO QUER VRAU + DENUNCIA 190 – GLEISON DA PG

Foto: Itaicy julio #euamopg-fotos 

Casa no Jardim Matilde Boqueirão

Praia Grande organiza esquema especial de vacinação contra a gripe

Idosos, indígenas e trabalhadores da saúde já podem tomar a dose
23/4/2018


Já começou a Campanha de Vacinação contra a gripe e Praia Grande aderiu ao cronograma sugerido pelo Ministério da Saúde.

A partir de 23 de abril idosos acima de 60 anos, indígenas e trabalhadores da área da saúde já podem tomar a dose. De 2 de maio em diante, a vacinação fica aberta também para crianças de até 2 anos de idade, gestantes e mulheres no pós-parto. E a partir de 9 de maio, professores, portadores de doenças crônicas e os privados de liberdade também poderão se imunizar.

O atendimento ocorre em todas as unidades de Saúde da Família (Usafas), de segunda a sexta-feira, das 9 às 16 horas. 

Confira o endereço das 27 Usafas:

1 – Usafa Aviação – Av. Dr. Roberto de Almeida Vinhas, nº2929
2 – Usafa Boqueirão – Av. Pres. Kennedy, nº 918 Boqueirão
3 – Usafa Mirim – Av. dos Sindicatos, nº 635 – Mirim
4 – Usafa Tupi – Rua Meinacós, nº 95 – Tupi
5 – Usafa Aloha – Rua Zenji Sasaki, nº 269- Nova Mirim
6 – Usafa Anhanguera – Rua Josefa Alves de Siqueira, nº 649 – Anhanguera
7 – Usafa Antártica – Av. dos Trabalhadores 3801 – Antártica
8 – Usafa Caiçara – Rua Mathilde de Azevedo Setubal nº 630 – Caiçara
9 – Usafa Esmeralda – Rua Menotti Del Picchio, altura do n° 179
10 – Usafa Forte – Av. Rio Branco, nº 562 – Forte
11 – Usafa Guaramar – Av. dos Trabalhadores, nº 1717 – Glória
12 – Usafa Maracanã – Rua Cesar Rodrigues Reis, 850 – Maracanã
13 – Usafa Melvi – Rua João Caetano, nº 101 – Melvi
14 – Usafa Mirim II – Rua Nossa Senhora da Conceição, nº 400
15 – Usafa Ocian – Rua José Jorge, 521 – Ocian
16 – Usafa Quietude – Rua Rui Manoel Sampaio Seabra Pereira, nº 500
17 – Usafa Real – Rua das Begônias, nº 453 – Real
18 – Usafa Ribeirópolis – Rua Esmeraldo Tarquínio nº 471 – Ribeirópolis
19 – Usafa Esmeralda II – Av. Hugo de Carvalho Ramos, 1521 – Esmeralda
20 – Usafa Samambaia – Av. das Araucárias nº 181 – Samambaia
21 – Usafa Santa Marina – Rua Particular, 598 – Anhanguera
22 – Usafa São Jorge – Av. dos Trabalhadores, nº 4242 – Antártica
23 – Usafa Solemar – Av. Pres. Kennedy, nº 19726 – Solemar
24 – Usafa Sítio do Campo – Rua Maria Luiza Lavalle, nº 68 – Sítio do Campo
25 – Usafa Tupiry – Rua Idelfonso Galeano, nº 368 – Tupiry
26 – Usafa Vila Alice – Rua Renata Câmara Agondi, nº 46 – Anhanguera
27 – Usafa Vila Sônia – Rua Antônio Cândido da Silva nº 1075 – Vila Sônia

“Uma Aventura no Mar” é atração do final de semana para a garotada

Ingressos estão sendo vendidos antecipadamente por R$ 20,00
23/4/2018

O Teatro Serafim Gonzalez recebe neste sábado (28) o espetáculo teatral “Uma Aventura no Mar”. A apresentação acontece às 17 horas e a classificação indicativa é livre para todas as idades. 

O espetáculo conta a história de uma corajosa jovem que busca salvar sua tribo de uma terrível praga. Ao descobrir ser integrante de uma longa linhagem de navegadores, a filha do chefe resolve partir em busca de um lendário semideus para ajudá-la.

Os ingressos custam R$ 20 reais (meia-entrada) e R$ 40 reais (inteira) no dia do espetáculo, com a bilheteria funcionando das 14 horas até o início da apresentação. Já para aqueles que comprarem antecipadamente pelo www.ingressosnanet.com ou em algum dos pontos de venda do próprio site, o valor também será de meia-entrada. 

Endereço – O Teatro Serafim Gonzalez fica localizado no Palácio das Artes, na Avenida Presidente Costa e Silva, nº 1600, Bairro Boqueirão. Informações pelo telefone: 3496-5715.

%d blogueiros gostam disto: