Equipe de atletismo paraolímpico de Praia Grande reúne mais de 30 competidores


Grupo treina na pista da Cidade

Mais de 30 desportistas integram a equipe de atletismo para pessoas com deficiência (PcD) de Praia Grande (Secretaria de Esportes e Lazer – SEEL –, Liga Praia-grandense de Atletismo). O grupo treina de segundas as sextas-feiras, das 8 às 12 horas e das 13 às 17 horas, na Pista municipal (Rua José Bonifácio, 400, Bairro Sítio do Campo). Os ensinamentos são ministrados pelas professoras de educação física Daniela Eiko Itani, 34 anos, e Mariam Mian Bouchnak, 28.

Pós-graduada em Pedagogia do Esporte Escolar, Daniela trabalha com o grupo municipal desde 2011. “Neste ano, queremos aumentar o número de paratletas que integram o time municipal em diferentes classificações funcionais. Também há o objetivo de melhorar as marcas individuais e assim, garantir medalhas em Jogos Regionais e Abertos do Interior, e nas etapas do Circuito Brasileiro Paraolímpico”.

Mestre em Ciências da Saúde e pós-graduando em Atividade Física para Pessoas com Deficiência, Mariam está no terceiro ano de comando da equipe municipal. “Sem sombra de dúvidas, neste ano queremos alavancar as marcas individuais visando a conquista de pódios em Jogos Regionais, Abertos e Estadual Escolar. O esporte proporciona aos paratletas uma melhora de qualidade de vida e uma evolução nas funcionalidades. Eles próprios e as famílias reconhecem o crescimento interpessoal”.

Paratletas – Destaque da equipe de Praia Grande, Laísa Cícera Macedo, 19 anos, classe T35 (paralisia cerebral), é moradora do Bairro Sítio do Campo. Descobriu o atletismo quando aluna da Escola Municipal Governador Franco Montoro, numa visita a pista municipal. Terceira colocada do ranking brasileiro de 2018 na prova dos 100 metros rasos, foi agraciada nesta temporada com a Bolsa Atleta Nacional – auxílio financeiro mensal (pelo período de um ano) oferecido pelo Governo Federal que visa garantir a manutenção pessoal aos atletas de alto rendimento que não têm patrocínio.

“Comecei do zero, não sabia nada sobre atletismo. Mas, aos poucos, fui aprendendo, evoluindo e conseguindo medalhas importantes em etapa do Circuito Brasileiro Paraolímpico, jogos Regionais, Abertos do Interior e Estadual Escolar. O esporte ajudou muito no desenvolvimento do meu corpo e também, me fez conhecer muitas pessoas e amigos. Sou muito grata pela dedicação dos professores comigo. Em 2019, quero novas medalhas”, disse Laísa.

Outro destaque do grupo de Praia Grande é o paratleta Adrian Oliveira Conceição, 18 anos, classe T20 (deficiência intelectual). Morador do Bairro Quietude, começou no atletismo há quatro anos e tem obtidos medalhas nas provas de salto em distância, 100, 400 e 1.500 metros rasos. Pelos resultados conquistados em 2018, nesta temporada recebe a Bolsa Talento Esportivo Estadual – auxílio financeiro mensal (pelo período de um ano) ofertado pelo Governo do Estado de São Paulo que para atletas dos vários níveis de excelência.

“Descobri o atletismo por meio de uma palestra na Escola Municipal Paulo Shigueo Yamauti. Sempre gostei de correr, meu pai brincava comigo e me chamava de Papa Léguas. O esporte tornou minha vida melhor em tudo, principalmente no desenvolvimento físico e no relacionamento com outras pessoas. Já ganhei medalhas em Jogos Regionais, Abertos, Escolar Estadual e em vários outros eventos. Neste ano, quero melhorar meus tempos e ajudar nossa equipe nas principais competições”, afirmou Adrian.

Dados – A SEEL de Praia Grande oferta gratuitamente aos munícipes polos para treinamento e desenvolvimento competitivo em 23 modalidades esportivas: atletismo, basquete, biribol, capoeira, caratê, futebol, ginástica artística e rítmica, handebol, hidroginástica, natação, taekwondo, tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia, xadrez e ainda, atletismo e natação para pessoas com deficiência (PcD). A competição é coordenada pelo diretor do Departamento Esportivo da SEEL Cláudio Camarão.

As aulas destinam-se a meninos e meninas de diversas faixas etárias – inclusive pessoas com deficiência (PCD) física, intelectual ou visual, de segundas as sextas-feiras, em mais de 10 Bairros da Cidade. Para participar de qualquer polo, o interessado tem duas possibilidades: integrar as turmas de iniciação do Programa Superescola (e quando indiciado pelo professor responsável ser encaminhado para a equipe de competição) ou fazer um teste diretamente na equipe de competição. Para tanto, basta comparecer ao local dos treinamentos, com documento de identidade (de preferência com foto) e passar por avaliação técnica realizada pelos técnicos responsáveis por cada modalidade. Outras informações podem ser obtidas no telefone 3496-5609.

Seu comentário é importante!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close