Prefeitura faz entrega da EM Roberto Francisco dos Santos em Praia Grande

Nesta quinta-feira (18) ocorre a inauguração da EM Visconde de Mauá

A emoção tomou conta da cerimônia de inauguração da EM Roberto Francisco dos Santos. A solenidade que marcou o início das atividades na unidade, realizada nesta terça-feira (16), faz parte do cronograma de ações em comemoração ao aniversário de 51 anos de emancipação político-administrativa de Praia Grande. A programação na área da Educação continua nesta quarta-feira (17) com a entrega da nova escola de Ensino Fundamental do Bairro Aviação, EM João Gonçalves (Joãozinho da Aviação) e na quinta-feira, também no Ribeirópolis, com a inauguração da EM Visconde de Mauá.

A inauguração da EM Roberto Francisco dos Santos contou com a presença de familiares e da viúva do ex-chefe do Executivo, Vivian Santos. Em sua fala, o prefeito Alberto Mourão fez questão de enaltecer o carinho e admiração que nutre pelo patrono da nova unidade. Atual responsável pela administração do Município recordou a trajetória que ambos percorreram juntos até os momentos atuais.

“Quando assumi o cargo de secretário de Educação, isso em janeiro de 89, fiz questão de conversar com algumas professoras, entre elas, a vice-prefeita Maura Lígia, para entender o que era a educação”, lembrou Mourão. “E trouxe o Roberto para trabalhar comigo, no setor de manutenção das escolas. E juntos, dentro das nossas limitações da época, criamos um sistema para fazer a distribuição adequada da merenda”.

Ao deixar o cargo de secretário, em setembro de 1989, o prefeito afirmou já estar inebriado pela educação. Ao assumir o posto de chefe do Executivo, em 1993, também com o auxílio de Roberto Francisco, que então foi nomeado chefe de Gabinete, Mourão percebeu que tinha em mãos a oportunidade de melhorar a qualidade de ensino em Praia Grande. “E desde então, não medimos esforços para colocar em prática a transformação pela qual a Educação passou”, ressaltou.

O prefeito recordou ainda sobre o estilo da relação que tinha com o patrono da nova unidade. Segundo Mourão, Roberto o tinha como um pai apesar de o atual prefeito ser mais novo que ele. “Lembro de outra passagem, assim que Roberto assumiu o cargo de prefeito, que ele perguntou: ‘O que você espera de mim?’. Eu disse: ‘Cuida da educação. Deixa os profissionais que estão lá trabalhar, pois, eles sabem o que é preciso fazer para alavancar o ensino na Cidade’ e assim ele fez”.

Por fim, o chefe do Executivo ressaltou que a homenagem ao nomear a nova unidade de Roberto Francisco dos Santos se trata de um simples gesto para reverenciar a memória do ex-prefeito. “Pela pessoa que Roberto foi e tudo que fez em prol da Cidade, seja trabalhando ao meu lado ou quando esteve, e com maestria, como prefeito não podíamos deixar de fazer essa homenagem”, argumentou.

 

Qualidade – Presente na solenidade, a secretária de Educação, Nanci Solano Tavares de Almeida, fez questão de enaltecer os números de atendimentos na rede municipal de ensino de Praia Grande. “Ano passado, só em educação infantil atendemos mais de 17 mil alunos. Somados com os demais níveis de escolaridade, entre eles, o Ensino Fundamental, chegamos a marca de mais de 54 mil estudantes matriculados nas nossas 73 escolas”.

“São números que nos permitem afirmar que somos a maior rede de ensino na região metropolitana de ensino, quando o assunto é quantidade de alunos atendidos”, continuou Nanci Solano. “E, fugindo à máxima, alguns resultados alcançados pelas nossas crianças em competições culturais, como a OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas), mostram que quantidade anda junto com qualidade de ensino em Praia Grande”.

Estrutura – Situada na esquina da Avenida Oliveira Lima com a Rua 2, no Bairro Ribeirópolis, a EM Roberto Francisco dos Santos conta com 2.602,84 metros quadrados de área construída. Os mais de 750 alunos matriculados em turmas de Creche e Pré-Escola ficarão divididos em salas localizadas em dois pavimentos (térreo e primeiro andar).

A parte administrativa da unidade escolar ficará no térreo, sendo formada por recepção, secretaria, salas da diretora, dos professores e da assistente de direção, almoxarifado, arquivo morto e depósito de material. O pavimento ainda contará com seis salas de aula e uma de informática, playground, cozinha, pátio com palco e refeitório, despensa, área de serviço e quatro banheiros (sendo dois femininos e dois masculinos).

Uma rampa e uma escadaria farão a ligação entre os dois pavimentos, sendo que, o primeiro andar contará com duas salas de atividades e sete berçários. Além disso, o espaço terá também um brinquedoteca, três locais para banhos, um roupeiro, um lactário, uma despensa e um refeitório.

Programação – Dando continuidade ao cronograma de comemorações do aniversário de 51 anos de emancipação político-administrativa da Cidade, nesta quinta-feira (18), a Prefeitura de Praia Grande inaugura a EM Visconde de Mauá. Também localizada no Bairro Ribeirópolis, a unidade terá a capacidade de receber até 1.440 alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental. Desta forma, o novo espaço absorverá a demanda hoje atendida pela EM Domingos Soares de Oliveira, que ficará com turmas do 6º ao 9º.

Localizada na esquina da Avenida Oliveira Lima com a Rua Dois, no Bairro Ribeirópolis, a nova unidade de Ensino Fundamental foi construída no mesmo terreno da escola de Educação Infantil a ser inaugurada também em 2018. O prédio contará com 3.943,92 metros quadrados de área construída divididos nos pavimentos térreo, 1º, 2º e 3º andares.

No térreo ficará a parte administrativa da unidade escolar formada por recepção, secretaria, salas da diretora, professores e assistente de direção, arquivo morto, almoxarifado, depósito de material de limpeza, quatro banheiros (sendo dois masculino e dois feminino). Enquanto isso, o 1º andar será formado por pátio, refeitório, área de serviço, despensa, cozinha e banheiros. Já o 2º pavimento contará com 12 salas de aula, uma de informática, uma multifuncional, quadra poliesportiva, depósito de material esportivo, banheiros e vestiários masculino e feminino. A unidade ainda terá mais 12 salas de aula que ocuparão o 3º andar, junto com mais uma sala de informática e a biblioteca.

Patrono -Irineu Evangelista de Sousa (Visconde de Mauá) nasceu em Arroio Grande, no Rio Grande do Sul, no dia 28 de dezembro de 1813. Perdeu o pai cedo e foi entregue, pela mãe, a um tio que vivia no interior de São Paulo. Depois, com 9 anos, acabou indo morar com outro tio, no Rio de Janeiro. Trabalhava em troca de comida e de moradia.

Com 11 anos empregou-se no comércio, conquistando a confiança do patrão. Foi promovido a guarda-livros em 1828. Estava com 15 anos. Dali foi para a companhia importadora de um empresário inglês, da qual acabou se tornando gerente e depois sócio. Em 1839, com a volta do patrão para a Inglaterra, assumiu o controle da empresa.

Em 1845, fundou uma fábrica de navios em Niterói, na então província do Rio de Janeiro. Ali passaram a serem produzidas, também, caldeiras para máquinas a vapor, guindastes, fornos siderúrgicos, tubos para encanamento de água e canhões, entre outros produtos. Com isso, deu grande impulso à indústria brasileira. Em 1850, quando o Brasil entrou em conflito com o Uruguai, o empresário contribuiu com recursos financeiros e canhões para a causa brasileira.

Irineu Evangelista de Sousa investiu nos transportes, especialmente em ferrovias. Foi ele que implantou a primeira estrada de ferro no Brasil, em 1852, ligando as cidades de Petrópolis e Rio de Janeiro. Implantou, também, várias melhorias no Rio de Janeiro, então capital do país. Uma delas foi a iluminação pública a gás. Também foi o idealizador da primeira estrada pavimentada do Brasil, ligando Petrópolis e Juiz de Fora.

Por suas realizações, recebeu do imperador dom Pedro II os títulos de barão de Mauá, em 1854, e de visconde de Mauá, em 1874.Dedicou-se também às comunicações, mandando instalar os primeiros cabos telegráficos submarinos entre o Brasil e a Europa. O telégrafo era na época o meio mais rápido de mandar mensagens a longas distâncias.

Atuou na política, tendo sido deputado pelo Rio Grande do Sul em diversos mandatos. Participou da refundação do Banco do Brasil (que tinha deixado de existir anos antes) e teve seu próprio banco, a Casa Mauá MacGregor& Cia. Uma crise bancária ocorrida em 1864 prejudicou seus negócios. Mauá enfrentou dificuldades financeiras e a forte concorrência de empreendimentos estrangeiros.

Em 1878, pediu falência (ou seja, o fechamento de suas empresas). Pagou integralmente as dívidas assumidas e retirou-se para Petrópolis, fragilizado pelo diabetes. Morreu em Petrópolis em 1889. Era casado com a sobrinha Maria Joaquina de Sousa Machado, com quem teve dezoito filhos, dos quais dez sobreviveram.

Seu comentário é importante!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close