Seduc homenageia docentes em 3ª edição do Prêmio Professor

123

Aline Vasques, Viviane Fernandes e Alexandre Melo foram os grandes vencedores
14/6/2017

Os projetos “Tenda Literária”, “Educar para Comer Bem – Você Sabe o que Comeu no Almoço” e “A Educação Física para o Aluno com Transtorno do Espectro Autista (TEA)” conquistaram os três primeiros lugares na 3ª edição do Prêmio Professor – Práticas Pedagógicas de Sucesso. Desenvolvidos, respectivamente, pelos docentes Aline Farinelli Vasques, Viviane Pereira da Silva Fernandes e Alexandre Dias Nunes de Melo, os trabalhos foram transformados em artigos e publicados na revista eletrônica Práticas de Sucesso.

A entrega das homenagens ocorreu nesta terça-feira (13), em cerimonia realizada no Auditório Jornalista Roberto Marinho (Bairro Mirim). O evento contou com a participação do prefeito, Alberto Mourão, e da secretária de Educação, Nanci Solano Tavares de Almeida. Além dos três primeiros colocados, a solenidade marcou também a condecoração dos 17 docentes concorrentes.

Os três projetos vencedores tiveram como ponto comum a transgressão dos professores em fugir da rotina diária de lecionar e oferecer algo a mais aos alunos. “Estes professores estão de parabéns por entenderem o seu real papel na sociedade. Com estas ações, todos os envolvidos propuseram às crianças a terem um olhar diferente e isso se torna fundamental quando falamos na evolução da espécie humana”, enfatizou Mourão.

“Sem dúvida que esse reconhecimento aos profissionais que aqui estão é importante. Mas o resultado final que eles alcançaram dentro da sala de aula, fazendo a diferença na vida dos alunos, esse sim se torna o maior prêmio que conquistaram”, disse o prefeito. “E também por provocarem os demais colegas em buscarem o diferente e oferecer o melhor de cada um para os estudantes”.

A secretária de Educação, Nanci Solano Tavares de Almeida, aproveitou para destacar a criatividade dos docentes em ofertar aos alunos iniciativas inéditas. “Com certeza estes jovens não serão os mesmos após terem contato com essas práticas. Por exemplo, quando poderíamos imaginar que uma tenda, usada geralmente na praia, serviria como estímulo a leitura dentro da sala de aula”, afirmou.
Assim como o prefeito, Nanci Solano também parabenizou os docentes por transgredirem a rotina. “Muito se fala em educação científica. O que a docente fez ao usar a matéria do jornal foi ligar o assunto com outras questões didáticas. Já o professor de educação física descobriu uma forma de trabalhar e fazer com que os alunos que têm autismo apresentem evoluções sensíveis além, ainda, de auxiliar os pais no tratamento com seus filhos. Isso tudo é maravilhoso!”, elogiou.

Práticas mais votadas – Pertencente ao quadro da EM Antônio Peres Ferreira (Bairro Vila Sônia), a professora Aline Farinelli Vasques ficou com a primeira colocação com o projeto “Tenda Literária”. Para ela, a premiação mostra o reconhecimento profissional por parte da Seduc. “Você sai das quatro paredes da sala de aula, mostra o trabalho para os colegas e, como resultado, tem o projeto publicado em uma revista. São somatórias de fatores que nos deixa lisonjeada”.

Na segunda colocação, com o projeto “Educar para Comer Bem – Você Sabe o que Comeu no Almoço”, a professora da EM Estina Campi Baptista, Viviane Pereira da Silva Fernandes, promete desenvolver outras propostas pedagógicas de sucesso. “Depois dessa conquista, agora quero continuar principalmente pelos alunos. Mesmo que eu não atinja a todos de uma sala, mas se eu fizer a diferença na vida de cinco, dez deles já me darei por mais que satisfeita”.

“A Educação Física para o Aluno com Transtorno do Espectro Autista (TEA)” foi a grande sacada do professor Alexandre Dias Nunes de Melo para conquistar a terceira colocação. “A gente faz o trabalho pensando no resultado dentro da sala de aula. Focando em resolver uma situação pontual, ou seja, sem grandes pretensões iniciais. Ai quando você percebe a dimensão que o trabalho toma, os elogios dos colegas de profissão, essa somatória, nos deixam muito feliz”, apontou.

Processo – O concurso teve início em 2016, quando os professores inscreveram as iniciativas pedagógicas com resultados positivos para concorrer ao prêmio. Do total de participantes, 20 docentes foram classificados para a fase final, após a verificação dos trabalhos, avaliando-se se atendiam aos pontos exigidos, e apresentação para comissão julgadora.

Os vencedores do Prêmio Professor foram escolhidos pelos próprios colegas de profissão, durante a 7ª Jornada Pedagógica, em março deste ano. Na ocasião, os concorrentes socializaram as práticas de sucesso nas oficinas assistidas pelos professores, como forma de capacitação. Ao final, os docentes avaliaram as iniciativas e o mais votado, em proporção, conquistou o primeiro lugar.

Deixe uma resposta