Guarda Civil Municipal de PG é referência na região

Foto: Danilo Almeida
Foto: Danilo Almeida

Corporação passou por vários avanços ao longo dos 14 anos de criação
5/10/2016 | Ludmila Pilipavicius , MTB: 29.204

Criada por lei municipal em 2001 (lei complementar 269), a Guarda Civil Municipal (GCM) de Praia Grande é considerada atualmente referência não apenas entre as corporações da região, mas também do estado de São Paulo. O que pouca gente sabe é que a GCM existe desde 1969 na Cidade, quando era chamada ainda de Serviço de Vigilância e Salva Vidas. De lá pra cá, passou por uma série de modificações, sendo reestruturada e aperfeiçoada. Atualmente, é responsável não apenas pela proteção do patrimônio público mas também pela efetiva segurança de moradores e visitantes de Praia Grande.

Um dos diferenciais está na formação dos guardas em ambiente universitário, com o apoio das polícias Civil e Militar. Para integrar a corporação, o candidato passa por um rigoroso processo de seleção, realizado por meio de concurso público, composto por prova objetiva, avaliações física e piscológica, além do curso de formação de mais de 900 horas/aula com cerca de cinco meses de duração.

Atualmente, o efetivo da GCM é de quase 400 integrantes. A turma mais recente a se formar finalizou a preparação em 2015, possibilitando uma melhor distribuição de postos de trabalho e equipes da corporação, como por exemplo a expansão do Patrulhamento Comunitário Integrado (PCI), criado em 2013. Atualmente, o programa atende do Forte ao Solemar, incluindo os bairros localizados entre a Via Expressa e o morro, considerados os mais populosos da Cidade.

A GCM de Praia Grande foi a primeira da região a possuir autorização para usar arma de fogo. Outro importante avanço na área da segurança pública, que embora não seja a atribuição primordial das guardas civis acaba se refletindo na rotina dos integrantes da corporação.

Graças ao decreto 5123/2004, o Estatuto do Desarmamento, que prevê o porte de armas por guardas civis, a Guarda Civil de Praia Grande firmou convênio com a Polícia Federal em 2006 e passou a utilizar a arma de fogo em serviço em 2009. Para tanto, desde então, os guardas passam por avaliação psicológica e de capacidade técnica. Conforme legislação municipal, todo o efetivo é autorizado ao uso de arma de fogo em serviço e, atualmente, 100% dos guardas estão aptos ao porte de acordo com a função que executam.

Os treinamentos são constantes e os critérios são reavaliados anualmente.
O uso de armas não letais ou de menor potencial ofensivo, como spray e gás de pimenta, tonfa e pistola taser (choque) também já estão incluídos entre os equipamentos de segurança utilizados pela GCM de Praia Grande, quando necessário.

Todo o avanço buscado pela Administração Municipal faz com que a corporação esteja adequada ao Estatuto Geral das Guardas Municipais, lei sancionada em agosto de 2014 e que entrou em vigor este ano.

O comandante da guarda praia-grandense, Márcio Souza Santos, atribui o avanço da corporação principalmente ao comprometimento que seus integrantes têm com seu trabalho. “A GCM conquistou uma credibilidade junto à população que é extremamente importante para o êxito de nossas ações. Para se ter uma ideia, em 2015 tivemos um total de 3.889 ligações protocoladas no nosso sistema de atendimento de ocorrências enquanto que em 2016, apenas até o mês de agosto já haviam sido contabilizadas mais de 4.800”.

Este dado está diretamente ligado ao Centro Integrado de Comando e Operações Especiais (Cicoe), inaugurado em 2015, e que presta importante auxílio não apenas à GCM mas também às polícias Civil e Militar. “Com a reformulação de equipes, aquisição de equipamentos e aumento no efetivo, a demanda aumentou de uma forma positiva, ou seja, estamos atuando em uma área de abrangência maior e, consequentemente, garantindo mais tranquilidade à população”.

A Guarda Civil Municipal está organizada em nove setores: Gabinete do Comando, Setor de Administração, Setor de Ensino, Setor de Controle de Material Bélico, Setor Operacional, Setor de Videomonitoramento, Setor Assistencial, Setor de Informática, Rádio e Comunicação; e Setor de Proteção Ambiental, composto pelos grupamentos de Guarda Ambiental e Guarda Costeira. Além de Corregedoria e Ouvidoria, órgãos independentes e autônomos que garantem controle e oferecem suporte à corporação.

O comandante destaca ainda que a participação da comunidade é fundamental para o trabalho da GCM e reforça que as ligações podem ser feitas pelos telefones 199 e 153.

Deixe uma resposta