Deficiente visual fala sobre auxílio de cão-guia na rotina de tarefas

Palestra abre programação do Espaço Flex, em 2016
2/3/2016 | Daniel Elias, MTB: 59.233

Para muitos, o cão tem o status de ser o melhor amigo do homem. Para pessoas com deficiência visual, o animal exerce função ainda mais importante e serve como os olhos. Nesta sexta-feira (4), às 18 horas, Silvio Gonzaga fala sobre a relação dele com o labrador Jerry, seu fiel escudeiro. A atividade abre a programação de eventos deste ano do Espaço Flex, da Biblioteca Municipal Porto das Artes, localizada na Avenida São Paulo, 900, esquina com a Rua Dair Borges, no Bairro Boqueirão (próximo ao Hospital Irmã Dulce).

Gonzaga tem 53 anos de idade e adquiriu a cegueira aos 31 anos, após a ruptura total do nervo óptico. Entretanto, a relação dele com o cachorro só ocorreu tempos depois. Graças ao projeto Cão-Guia, realizado na Associação Brasiliense de Ações Humanitárias, do Distrito Federal, o deficiente visual ganhou o parceiro há 10 anos e visual sua rotina mudar por inteiro.

A palestra abordará, justamente, a modificação trazida por Jerry à vida de Gonzaga. No bate-papo, o palestrante comentará sobre como foi se adaptar a cegueira, quais caminhos percorreu para a reabilitação, a reinserção ao mercado de trabalho (com abertura de novas possibilidades) e sobre a constante busca por realizações pessoais e profissionais. Tudo isso, com o auxílio do cão-guia.

Porto do Saber – Vinculado ao Departamento de Complementação Educacional, Esporte e Cultura nas Escolas, da Secretaria de Educação, o complexo Porto do Saber engloba o Espaço Flex, além de biblioteca com mais de 25 mil livros, espaço digital com 20 computadores conectados à Internet e Escola Municipal Porto das Artes, para aulas culturais (dança, teatro, musicalização e violão) dos alunos do projeto SuperEscola.

AGÊNCIA DE NOTÍCIAS: Acesse também nosso conteúdo através do Facebook e do site da Rádio do Paço. Veja também o Banco de Imagens.

Deixe uma resposta