Outros acontecimentos para o dia 26 de agosto:

Os direitos dos homens

No dia 26 de agosto de 1789, durante a Revolução Francesa, a Assembléia Constituinte aprova a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. O documento defende a propriedade privada, institui a igualdade jurídica e a liberdade pessoal, ou seja, os direitos naturais e sagrados do homem.

1346 – A palavra “canhão” vem do espanhol, “caño” e significa cano grande. Foi inventado no século e usado pela primeira vez na Batalha de Crecy, em 26 de agosto de 1346, durante a Guerra dos Cem Anos. Foi decisivo para que um exército inglês de 50 mil soldados derrotasse seu adversário francês de 100 mil homens.

1789 – Revolução Francesa: a Assembléia Constituinte aprova a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão.

1792 – Nasce Manuel Oribe, militar e político uruguaio.

1799 – O general francês Massena derrota as tropas austríacas na Batalha de Zurique, na Suíça, e salva novamente a França.

1828 – Morre Francois Josep Gall, fisiólogo francês.

1880 – Nasce Guillaume Apollinaire, poeta ítalo-polaco que encabeçou a vanguarda francesa.

1882 – Morre Antonio Plaza, poeta mexicano.

1890 – A primeira execução em uma cadeira elétrica nos Estados Unidos ocorre na prisão de Nova York de Auburu.

1896 – Andrés Bonifacio dá o grito de independência das Filipinas e comença a luta contra o domínio espanhol.

1907 – O mágico Houdini, húngaro naturalizado americano, apresentou pela primeira vez o truque de se livrar de algemas dentro de um tanque cheio de água.

1914 – Nasce Julio Cortázar, escritor argentino.

1915 – Primeira Guerra Mundial: a Itália declara guerra contra a Alemanha. As forças de Mackensen conquistam Brest-Litovsk.

1920 – Ocorre a primeira retransmissão radiofônica em Buenos Aires.

1920 – A 19º constituição foi aprovada nos Estados Unidos. Uma das novidades era o direito de voto às mulheres.

1925 – Nasce Alain Peyrefitte, político e escritor francês.

1931 – Um movimento revolucionário começa em Portugal contra a ditadura do general Cardona.

1934 – O chaceler austríaco Engelbert Dollfuss é assassinado durante uma tentativa de golpe nazista.

1936 – A British Broadcasting Corporation (BBC) consegue Redação Terratuar a sua primeira transmissão mundial de televisão.

1936 – O Pacto egípcio-britânico é fechado, determinando que a Inglaterra poderá ocupar o Canal de Suez durante 20 anos.

1942 – Segunda Guerra Mundial: tropas alemãs chegam a Stalingrado, e forças soviéticas bombardeiam Berlim, Stettin e Dantzig.

1952 – Um avião britânico realiza em um dia, pela primeira vez, o vôo de ida e volta sobre o oceano Atlântico.

1961 – A Birmânia se converte na primeira república budista do mundo.

1970 – Milhares de jovens dançaram nus e fumaram maconha durante o festival da Ilha de Wight, no sul da Inglaterra, tentando resgatar o movimento hippie.

1971 – Morre Jorge de la Vega, pintor argentino.

1976 – O Príncipe Bernardo dos Países Baixos é deposto de seus cargos oficiais, após um escândalo de suborno Redação Terratuado a uma empresa aeronáutica norte-americana.

1978 – O cardeal Albino Luciani é eleito Papa (João Paulo I).

1978 – O cardeal de Veneza Albino Luciani foi eleito papa. João Paulo I, como ficou conhecido, morreu em virtude de um ataque cardíaco, 33 dias depois de ter assumido o posto.

1993 – O presidente nigeriano Ibrahim Babangida deixa o cargo, após oito anos de permanência no poder.

1994 – Argentina e Chile firmam um convênio de Integração Fronteiriço e outro de Cooperação Técnico-Científica.

1994 – São Caetano do Sul, em São Paulo, foi apontada pela Unicef como a cidade brasileira que oferece melhores condições de sobrevivência às crianças de até seis anos.

1996 – Morre Alejandro Agustín Lanusse, político argentino.

1999 – Cuba ingressa na Associação Latino-americana de Integração e se converte no décimo segundo país membro.

1999 – Ocorre a marcha popular dos 100 mil, em Brasília, em oposição ao governo federal de Fernando Henrique Cardoso.

Antoine de Lavoisier

“Na natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”

A frase doa cima lhe parece familiar? Pois ela tem a ver com a Química e foi dita pelo químico francês Antoine Laurent de Lavoisier. Fascinado por estudos e descobertas, ele não só revolucionou essa área da ciência como também trabalhou em outros campos do conhecimento.

Lavoisier nasceu em Paris, em 1743. Filho de uma família de classe média alta, estudou nas melhores escolas francesas. Formou-se em Direito, mas nunca exerceu a profissão. Fisgado pela Química, tornou-se um grande cientista. Aos 23 anos foi eleito membro da Academia Francesa de Ciências e, por seu talento, logo indicado ao posto de diretor da Administração da Pólvora, um dos comitês da academia.

Mas, em 1768, Lavoisier parecia se afastar do meio científico. Foi trabalhar na Ferme Générale, agência ligada ao governo e responsável pelo recolhimento de impostos. Lavoisier afirmava que seu objetivo na Ferme Générale era conseguir dinheiro para financiar suas pesquisas. Ainda assim, sua ligação com essa empresa considerada corrupta era malvista pela população.

Aos 29 anos, Lavoisier casou-se com Anne-Marie, filha de 13 anos de um dos sócios da Ferme Générale. A esposa do cientista teve um papel importantíssimo nas pesquisas de Lavoisier. Era ela quem traduzia obras científicas do inglês para o francês, acompanhava as experiências do marido, fazia anotações e ilustrações.

Para se dedicar à ciência e ao trabalho, Lavoisier adotava uma rotina diária rigorosa. Acordava às seis horas da manhã e trabalhava em suas pesquisas até as oito. Em seguida, tratava dos negócios da Ferme Générale, da Administração da Pólvora e de outros comitês da Academia Francesa de Ciências. Das sete às dez da noite, voltava a seus estudos. Domingo era o “dia de felicidade”, ocasião em que o cientista fazia seus experimentos.

Em 1789, Lavoisier lançou o Tratado Elementar de Química, obra que seria considerada de grande importância para a ciência. Na mesma época, a França passava por um período complicado. As classes mais pobres da população, das quais o governo cobrava impostos, se rebelaram e teve início a Revolução Francesa. A ligação de Lavoisier com a Ferme Générale custou-lhe a vida: ele foi acusado de desvio de dinheiro público e morto na guilhotina em 1794.

Comenta-se que, no dia seguinte à morte de Lavoisier, o famoso matemático Joseph-Louis Lagrange teria dito: “Necessitou-se apenas um instante para cortar sua cabeça, mas, talvez, um século não seja suficiente para produzir outra igual”.

http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Seresvivos/Ciencias/AntoineLavoisier.php

Deixe uma resposta